quinta-feira, dezembro 30, 2010

Ano novo, vida nova. Amor antigo.


No dia 31, exatamente às, 23h59 vou olhar para a lua, e pensar em tudo que passei neste ano de 2010.
Os momentos bons, ruins, tediosos entre outros, vou lembrar de cada pessoa que fez parte deste ano, que fez com que ele se tornasse especial pra mim, e quando der 00h01, vou pedir pra que o ano de 2011 seja melhor que o de 2010, que venha cheio de novidades, cheio de conquistas, boas lembranças, pessoas que eu sei que poderei levar comigo até quando eu ficar velhinha.
Esses são os meus votos para que o ano de 2011 seja o melhor pra mim.

terça-feira, dezembro 28, 2010

Difícil.


É difícil aguentar tanta dor, tanta mentira, tanta decepção, tantos sonhos quebrados, tantas ilusões pisoteadas, aquele amor frustrado, carícias perdidas, tanta injustiça, e tantas feridas que doem como uma espada atravessando o coração.
E dói tanto interiormente. Mas por fora…
Você deve ter um sorriso materializando a falsa alegria porque poucas coisas te fazem sorrir quando tua alma está esgotada, mas há uma luz que nunca se apaga porque segue viva a esperança.



Nos últimos meses, eu passei por muitas experiências que poderiam ter acabado comigo, mas isso só me deixou mais forte.

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Feliz Natal!


Sou como um livro.
Há quem me interprete pela capa.
Há quem me ame apenas por ela.
Há quem viaje em mim.
Há quem viaje comigo.
Há quem não me entende.
Há quem nunca tentou.
Há quem sempre quis ler-me.
Há quem nunca se interessou.
Há quem leu e não gostou.
Há quem leu e se apaixonou.
Há quem apenas busca em mim palavras de consolo.
Há quem só perceba teoria e objetividade.
Mas, tal como um livro, sempre trago algo de bom em mim.




Neste Natal, abrace todas as pessoas que você não abraçou em todo o ano de 2010, porque um dia essa pessoa vai embora e talvez ela nunca saiba o quanto você a amou.

quinta-feira, dezembro 23, 2010

Beije devagar. Perdoe rápido.



Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.


A vida é muito curta para acordar com arrependimentos.
Ame as pessoas que te tratam bem.
Ame, também, aqueles que não, só porque você pode.
Acredite que tudo acontece por uma razão.
Se tiver uma segunda chance, agarre com as duas mãos.
Se isso mudar sua vida, deixe acontecer.
Beije devagar. Perdoe rápido.

sábado, dezembro 18, 2010

vai doer tanto...


To cansada de ser gentil com quem é grosso.
To cansada de ver o melhor em quem vê o meu pior.
To cansada de importar com quem não se importa.
To cansada de elogiar quem critica.
To cansada de falar com quem não me ouve.
To cansada de ligar para quem não me liga.
To cansada de chorar por quem não merece.
To cansada de querer quem não me quer.
To cansada de amar quem não me ama.
To cansada e acho que tenho razão em estar...

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Em quem você pensa quando fecha os olhos?!



"...Porque quando fecho os olhos, é você quem eu vejo;
aos lados, em cima, em baixo, por fora e por dentro de mim".

Fecho os olhos e sonho...
Sonho com o teu sorriso e a tua risada.
Fecho os olhos e te encontro.
Sinto o teu cheiro o toque da tua pele.
Fecho os olhos e já sinto o calor dos teus braços.
O pulsar dentro do teu peito.
Fecho os olhos e não quero mais abrir, a realidade não tem cor, não tem cheiro, não tem gosto...
Fico então de olhos fechados.
A espera do sonho se concretizar.

quarta-feira, dezembro 15, 2010

Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes.



''Nunca é tarde demais, ou cedo demais, para ser quem você quer ser. Não há limite de tempo. Comece quando quiser. Mude ou continue sendo a mesma pessoa. Não há regras para isso.

Você pode tirar o máximo proveito ou o mínimo. Espero que tire o máximo. Espero que veja coisas surpreendentes. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com um ponto de vista diferente. Espero que tenha uma vida da qual se orgulhe. E se não se orgulhar dela, espero que encontre forças para começar tudo de novo. ’’

Filme “O Curioso Caso de Benjamin Button”.

terça-feira, dezembro 07, 2010

Fui alí ser feliz.



O que me faz feliz...?


Um sorriso sincero, aquele que sabe exatamente o que você tá pensando!
Um grito de vitória, um pedaço de papel escrito com qualquer coisa dedicado a mim!
Um olhar de esperança!
Aprendi com o tempo que  as pequenas coisas é que realmente me faz feliz!
O tempo que perdi esperando um momento certo pra ser feliz, mas não existe um momento certo pra felicidade chegar. A felicidade mora dentro de você! Começa em você!
São as pequenas coisas que fazem a verdadeira diferença.
Não se pode viver bem sem os detalhes da vida. Pois são eles que fazem os olhos brilharem ou encherem de lágrimas, que trazem a alegria de um instante e te fazem refletir o resto do dia!
Ser feliz é você reviver na memória aquele momento bom, que durou 2 segundos mas você vai guardar para resto dos seus dias! E sorrir sozinho sempre que lembrar!


"Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente."
( Veríssimo )

domingo, dezembro 05, 2010

Mais do que eu.



Gosto de pensar assim: se a gente faz o que manda o coração, lá na frente, tudo se explica. Por isso, faço a minha sorte. Sou fiel ao que sinto. Aceito feliz quem eu sou. Sigo a vida conforme o roteiro. Sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro eu deliro e questiono. Não acho graça em quem não acha graça. Acho chato quem não se contradiz. Às vezes desejo mal. Sou humana. Sou quase normal. Não ligo se gostarem de mim em partes. Mas desejo que eu me aceite por inteiro. Não sou perfeita, não sou previsível. Sou uma louca. Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero muito e quero sem fim. Admiro grandes qualidades. Mas gosto mesmo dos pequenos defeitos. São eles que nos fazem grande. Que nos fazem fortes. Que nos fazem acordar. Por isso continuo... Continuo guerreira. Continuo na lua. Continuo na luta. Não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E rezar pra sair ainda bem melhor do outro lado de lá. Deixo rolar; e a cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos e na prudência egoísta que nada arrisca, aliás, tudo vale a pena quando a alma não é pequena!


Cuidado, palavras tem poder!!

sexta-feira, dezembro 03, 2010

é tudo ou nada.



"Parte de onde eu estou indo é conhecer de onde eu venho.
Eu não quero ser nada além do que eu tenho tentado ser ultimamente, tudo que eu tenho que fazer é pensar em mim e eu terei paz na mente.
Estou cansada de olhar em torno do meu quarto pensando no que eu tenho que fazer ou quem devo ser...
Eu não quero ser nada além de mim."

(I don't Want to Be - Gavin Degraw)


"O momento de hesitar acabou, não há tempo para chafurdar na lama.
Tente agora e nós só podemos perder, e o nosso amor se tornar uma pira funerária.
Venha, acenda meu fogo, tente incendiar a noite..."

Eu não sei quem eu sou sem você!

segunda-feira, novembro 29, 2010

O desafio.


Eu gosto mesmo é da surpresa, do inesperado que vem desarrumando tudo, como um furacão bravo e sem dó de ninguém.
Eu gosto da poeira pelo chão, do cheiro do novo, dos escombros que demonstram que ali, naquele lugar, uma demolição ocorreu...
Que nada será do mesmo jeito!
Mas acima de tudo, eu gosto mesmo é da coragem dos que chegam com a marreta na mão e conseguem derrubar os muros que ainda me cercam, as grades que me protegem de mim mesma, da vida lá fora.
É o desafio que me atrai. O difícil, o (quase) impossível.
Isso sim, me deixa com o gostinho de "quero-mais" na boca e com uma vontade imensa de repetir a dose...
no coração!

sexta-feira, novembro 19, 2010

A caça.



"Quem não tem cão, caça com gato!", já dizia a frase celebre, que ao longo das décadas foi/é utilizada por muita gente. A frase tem uma moral, que muitos, mesmo fazendo uso desta, não prestam atenção.
Lá vai: Gente, o que importa não é como se caça, nem o que vai se caçar...
O que importa mesmo é o ato, a ação de caçar. A prática por si só, já vale o esforço! Penso assim...
Para tudo nesta vida, o que vale não é o produto final dos nossos esforços, isso é mera consequência.
O que vale mesmo é que nos esforcemos. É o suor do nosso rosto que nos trás satisfação. É o cansaço no fim do dia, que faz com que nos sintamos dignos, dignificados!
Não importa que ganhemos 1 milhão ou um salário mínimo ( sem querer ser hipócrita, e não descartando que dinheiro é sim, muito bom!), importante mesmo é se ao colocarmos a cabeça em nosso travesseiro, teremos a consciência de que fizemos o melhor que pudemos fazer naquele dia! De que estamos no lugar certo, no caminho certo...

Caçar sempre... com cão, gato, ou até mesmo sozinhos!

segunda-feira, novembro 15, 2010

Dor.


Sabe quando você olha pra trás e vê que sua vida agora está um fiasco?
Sabe quando você sente saudade de tudo, e se sente inseguro com qualquer situação do hoje?
E tudo que você quer é correr pro colo de alguém e chorar?
Pois é, eu me sinto assim nesse momento, me sinto agora como não tinha me sentido há algum tempo.
A pergunta frequente na minha cabeça é o porque dessa dor tão grande, bem as vezes fico pensando no que pode ser mas no fundo sei que a dor é você.
A dor de amar e de não te ter, a dor de saber que mesmo que eu não queira eu tenha que te esquecer, a dor de saber que tantas feridas esse sentimento causou dentro de mim, e é por causa deles que talvez eu tenha forças para tirá-lo de um lugar que é difícil, e que você permaneceu por tanto tempo, esse lugar é meu coração.
Coração que já sentiu coisas tão puras por você, e que hoje só sabe sentir dor por te amar, por não estar com você, por ter que te esquecer, como tem sido dolorido isso, e você não vê, você não sente essa dor, a dor que eu sinto cada vez que te digo palavras duras, ou te digo não querendo dizer sim.
Eu só queria que um dia que você pudesse entender tudo isso e soubesse que não é por maldade ou por orgulho que eu faço tudo isso, mas por saber que tantas feridas mesmo que haja muito amor não vão ser esquecidas.
Hoje, me despeço desse amor, como tantas vezes disse que faria e não fiz. Hoje deixo esse sentimento pra algo que possa me fazer feliz de verdade possa ter um espaço em meu coração, tudo que aconteceu foi marcante e muito bom mas ACABOU, e hoje é a última vez que retrato esse assunto, hoje é a última vez que seu nome sai da minha boca, ou que você habite meus pensamentos como se fosse ainda o amor da minha vida. Peço forças para prosseguir e que cada dia seja novo não só no amanhecer e anoitecer mas que seja novo dentro de mim.

(Autor desconhecido)

sexta-feira, novembro 12, 2010

Welcome to my life!


Desenho sobre a pele aquele mapa desconhecido.
Traço rotas que nem eu mesma sei seguir.
Eu gosto mesmo é de pôr os pés na terra, sentir o solo...
Eu desenho linhas descontínuas, faço firulas, montanhas-russas, declives...
Subo o monte de incertezas, das possibilidades, da novidade.
Eu quero!
Eu desejo!
Eu sinto imensamente que novos ares estão por vir.
E permaneço ali, em cima do monte, olhando o infinito.

Welcome to my life!
É assim mesmo que sou...

quarta-feira, novembro 10, 2010

Meu.


"Que sejas meu universo.
Que sejas tudo o que sinto e o que penso.
Que de manhã sejas o primeiro pensamento.
E a luz da minha janela."

Autor desconhecido

segunda-feira, novembro 08, 2010

Descobri.


Que na vida tudo tem um propósito.
Que sorrir é uma das coisas melhores do mundo, mas rir de tudo é desespero.
Que chorar não significa ser fraco, mas trás alívio pra alma.
Que nem todo sentimento verdadeiro é o que te faz feliz.
Que nem todo perdão é de coração.
Que nem todo amigo é sincero.
Que nem tudo que julgamos importante é realmente necessário.
Mas o que descobri de mais valioso, é que ninguém pode ser sozinho e que eu preciso de você e você precisa de mim!

domingo, novembro 07, 2010

Velhice.



Dizem que a gente muda com o tempo, começa a ligar menos para as coisas que antes pareciam tão importantes.
Dizem que os sentimentos mudam, ganham novas proporções, muitas vezes menores que antes.
Muitas coisas são ditas por aí e se existem verdades, são estas que estão no nosso repertório de conselhos, nas frases da vovó, do taxista, do amigo, da vizinha...
A vida passa e começamos a entender os mecanismos das coisas.
Percebemos que as balelas que estamos cansados de ouvir, fazem todo sentido.
É a história, a experiência, a sabedoria de bolso que entra por um ouvido e não sai pelo outro.

sexta-feira, outubro 29, 2010

Amor.


É quando as músicas fazem lembrar, quando o passar do tempo trás recordações ou quando tenta saber notícias que quase nunca chegam, que eu tenho a certeza:
Tenho um amor que é gigante!
Um amor que chegou quando eu não pedi, que foi quando eu não queria, mas que deixou seus chinelos, em par, à beira da cama e seu perfume em minha pele!
Ele ficará aqui até quando quiser, porque eu já cansei de tentar expulsá-lo...
Porque eu sei que ele só vai embora, quando outro, mais atrevido e corajoso tomar o espaço que ainda é seu!

terça-feira, outubro 26, 2010

O calor.


Eu não dispenso o calor humano em nenhum momento da minha vida.
Eu gosto mesmo é de sentir o cheiro do outro, de perceber a diferença no andar, no tom da voz, no gosto musical.
Gosto dos gestos, do português errado, das piadas internas e externas.
Fico observando o balançar dos braços, o molejo, o ritmo individual e que caracteriza a identidade de cada um!
Eu gosto da personalidade, essa que não se empresta, que se tem e pronto!
Eu gosto na verdade é de gente!
De todas as cores, times, partidos e credos!

sexta-feira, outubro 22, 2010

Nada é o que parece...



Ao se aproximar, saiba que nem tudo é o que parece!
Voz calma não demonstra medo...
Sorriso aberto não demonstra inocência...
Feminilidade não demonstra submissão...
Sentir-se só não demonstra carência...
Querer apaixonar-se não demonstra não saber viver sozinha...
Ser religiosa não é, nem nunca será, sinonimo de ortodoxia ou fanatismo!
Ser idealista não apaga o realismo presente em mim...
Ser héterossexual não me impede de ser amiga de homossexuais...
Eu gosto da troca, do bilateral, da interdisciplinaridade, de fusão, do hibridismo, do humanismo!
E só mais um aviso: Se chegar perto, o problema é seu!
Para depois não dizer que não avisei!

terça-feira, outubro 19, 2010

É...


Já faz tanto tempo que eu escondo toda uma vida por trás de um sorriso.
Hoje cheguei em casa tão cansada, olhei para as roupas espalhadas na minha cama, os sapatos bagunçados, as maquiagens jogadas na pia e de repente me passou pela cabeça "por que eu faço isso?".
Me bateu um desespero, para provar para as pessoas o quão forte eu era e tudo aquilo foi me parecendo tão vazio, entende?
Sei lá, é que quando a gente fica cansada a gente acaba ficando consequentemente mais emotivo. Me sinto frágil, talvez eu ainda não tenha aprendido a me relacionar com as pessoas. Eu preciso sentir que "alguém" ainda sente. Fico parada aqui no chão, olhando tudo e começo a pensar que dá para recomeçar, sempre dá e eu já fiz isso tantas vezes.
Não adianta, existem pessoas como eu, com sentimentos diferentes, que vêem o amor diferente, a vida diferente.
É complicado, porém amanhã é um novo dia e eu, você, nós sabemos que a vida não perdoa mas mesmo assim é tão bom saber que em todo amanhecer é dado a nós a oportunidade de brilhar com o sol.

sexta-feira, outubro 15, 2010

Asas


Tem dias, como hoje, que sinto uma enorme vontade de girar, girar, girar até ficar tonta e cair no chão, como eu fazia quando era menor.
Olho para o céu e acho a coisa mais linda aqueles pássaros voando, sempre quis ser um pássaro, mesmo querendo tanto eu tinha medo, pássaros migram não é?!
E era disso que eu tinha e tenho tanto medo do que não fica para sempre.
Talvez esse seja o preço da felicidade, aceitar que as pessoas assim como os pássaros também migram.
Minha maior fraqueza é perder as pessoas e a vida me testa a cada segundo, leva tudo embora, mas venho aprendendo a respeitar a vida, o tempo de cada pessoa e acima de tudo minha fraqueza.
Só que eu quero mais do que isso, eu quero tudo aquilo que eu não entendo, ao longo da vida venho acumulando asas.
Quero muito, quero tudo, quero o mundo!
Faço minhas asas em cima das minhas perdas, porque sei que mesmo tendo medo de migrar eu nasci para voar.

"É difícil aprisionar os que têm asas."

sexta-feira, outubro 08, 2010

Para ser mais...


Eu peço que eu saiba ser imensidão diante dos furacões da vida. Que eu nunca abandone a prudência, mesmo que a hipocrisia do mundo teime em fazer barulho.

Eu peço que eu sabia ser delicada diante da grosseria alheia. Mas que eu saiba sempre defender meus ideais, até que me provem que estes não são tão bons como imaginava.

Eu peço que saiba ser tolerância diante da mediocridade humana, e que eu saiba dividir aqueles que não tiveram oportunidades, daqueles que as desperdiçam por usá-las para o mal.

Eu peço que eu receba sempre aquilo que eu merecer. Que se for pouco, eu saiba reconhecer a minha fraqueza. E se for muito, que eu agradeça pela força para lutar pelo que sempre sonhei!

domingo, outubro 03, 2010

O espontâneo.


Sou movida por carinho espontâneo, sorrisos sinceros e palavras que saem das entranhas. Abraços apertados, olhares que vão ao fundo da alma e ombros que esperam pela cabeça reclinada (seja qual for a hora!).
Sou atraída, imensamente atraída, por bom- humor que contagia, por piadas inteligentes, por romantismo não- enjoativo.
Gosto dos que se apegam... Mas não gosto dos que grudam!
Gosto dos que cuidam... Odeio os que tiram a individualidade!
Gosto dos que partilham... Mas não gosto dos que se anulam.
Gosto dos que sabem ser eles mesmos, embora seu endereço passe a ser o coração do outro.
Eu gosto mesmo é do " dentro pra fora ", do inteiro, do intenso, do autêntico.
Me prove quem és realmente, o que demonstra ser e ganharás meu coração embrulhado num papel celofane.

quarta-feira, setembro 29, 2010

Coragem.


Eu passeio pela vida como quem anda sobre o fio da navalha.
Não admito me privar dos riscos que posso correr.
Não suporto sair por aí vestida de uma armadura, somente para que as lanças (muitas vezes venenosas) de outrem não cheguem até mim.
Eu gosto mesmo é de pagar pra ver.
De dar cara ao tapa, sabendo que assim como posso apanha, também posso bater!
Nada de se esquivar, se esconder ou fugir.
Admitir fraqueza diante de um obstáculo que se tentou ultrapassar é uma coisa, mas correr antes mesmo de ver sua altura, isso fica para os covardes.
E como bem diz aquela frase que eu adoro repetir:

" Eu nunca fui covarde, nem mesmo nas minhas desistências. "

Eu junto meus pedaços e me costuro... Sempre!

sábado, setembro 25, 2010

"TIC TAC..."



Carimbar no dia que começa um sorriso de orelha a orelha.
Tatuar a alegria na palma da mão e fecha-la para que ela não se solte jamais.
Prender os cabelos com as flores estação, trazê-las ainda nos bolos, na gola do paletó...
Ecoar a felicidade em todas as esquinas, nas ruas por onde passar, nas portas alheias.
Fazê-la proliferar, como uma doença contagiosa, uma pandemia sem cura!
Eu quero é a dança do tempo, o gosto das coisas, o cheiro dos sons, a letra das músicas, a rima sem rima.
Eu quero a totalidade da vida, a inesgotável totalidade das horas que se acabam...
Tic tac tic tac...
Vida!

quinta-feira, setembro 23, 2010

"Tempus Fugit"



É meus amigos... O tempo corre e nem damos conta disso!
Sabem por quê?
Horas, minutos, segundos... Toda sua vida planejada e calculada. De que adianta tanta organização se não dermos importância ao que somos e aos que nos rodeiam?
Nesse mundo corrido, nos tornamos robôs de uma sociedade capitalista onde desde pequenos aprendemos a agir pela razão e muitas vezes acabamos por esquecer que dentro de nós existe um coração.
Vivemos a sociedade da frieza, onde demonstrar sentimentos é brega e ultrapassado! Acabamos esquecendo a satisfação de ver um belo filme e acabar emocionada pelo mesmo, de acordar de madrugada para fazer o café quentinho, de andar de mãos dadas, de apreciar o pôr-do-sol...
Não damos importância ao sorriso verdadeiro de uma criança ao ganhar um doce, a alegria de um velhinho ao escutar a música que lhe fez tanto bem em sua juventude... Somos uma sociedade que esqueceu-se de encantar-se... Uma sociedade sem passado, sem lembranças!
"Ter passado" é diferente de "viver o passado"... Ter passado é trazer em nós aquela saudade do que vivemos, embora saibamos que na marcha da vida não podemos voltar no tempo...Ter passado é não nos desfazer das lembranças que nos fizeram tanto bem, mesmo sabendo o que vivido já passou, ficando apenas guardado no baú da nossa memória. Ter passado é saber que nos caminhos da vida nos perdemos de alguns, nos encontramos com outros e que tudo tem seu propósito de ser e acontecer.
Ter passado é reconhecer a importância das pessoas, dos caminhos, das quedas e das perdas.
É compreender que o tempo passou, que deixou marcas em nosso rosto, em nosso coração, em nossa vida...
Ter passado é reconhecer os erros, e reconhecer-se como aprendiz.
É tirar uma lição a cada nascer do sol. E a cada sol que se põe ter a oportunidade de torna-se um homem novo, renovado pelo amor!
Tempus Fugit!
O tempo passa... A vida corre!
É necessário então despertarmos e abrirmos nossos olhos para que muitos não querem ver, usando o passado como ferramenta na melhoria do presente. E o futuro? O futuros nos aguarda.

terça-feira, setembro 21, 2010

Adrenalina!!



Nem tudo que reluz é ouro. Nem tudo que seduz desperta-nos algum sentimento.
Nem todo abismo é fundo como parece e nem toda estrada tem seu percurso linear.
Eu gosto mesmo de descobertas, do não escrito, do não dado, do "sem manual".
Eu gosto de caçar borboletas em grutas escuras, de empinar pipa no vendaval e dançar tango em terremotos. Eu gosto da adrenalina!
Eu gosto mesmo é do que faz tremer as pernas, saltar o coração e secar a boca; como um salto no horizonte, como um pulo no vácuo da imensidão.

Que venha!!

sexta-feira, setembro 17, 2010

O bem...


Tenho andado meia abusada de determinada coisas ( e pessoas!)*.
Acho que isso não é algo fora do normal, muita gente abusa muita coisa e eu já tive momentos como esse antes. Então, o que de interessante existe nisso, que eu ache pertinente para estar aqui agora escrevendo sobre?
A importância reside no fato de que, determinadas coisas que ocorrem conosco, se somatizadas, se tornarão patologia. Isso é verdade gente!
O meu abuso tá sendo refletido no meu corpo, ao ponte de, quando em momentos quaisquer, uma vez lembrando determinada coisa (ou pessoa)* chego a sentir náuseas, arrepios e etc etc etc.
Imaginem agora: Se um simples "abusinho" é capaz de fazer isso, pensem agora naquelas pessoas que nutrem o ódio por outras, o que não devem sentir?
Gosto de refletir sobre as coisas me incluindo nelas. Odeio aquela história de "pimenta no olho do outro é refresco", prefiro pensar, e se a pimenta tivesse no meu olho?
Pensem nisso vocês também!
Já dizia Paulo Coelho: Todos nós temos 2 cachorros interiores. Um manso, outro feroz.
Qual prevalecerá? Aquele a quem você melhor alimentar!
Alimentem o bem... O mal deixem morrer de fome!

quarta-feira, setembro 15, 2010

É...



Dei para pensar que sou tipo de pessoa que gosta de auto destruir, tenho bebido demais para enganar minha dor, sorrido demais para disfarçar meu desespero, frequentando demais lugares que não gosto, tenho dormido pouco e minhas olheiras no outro dia mostram que eu não sei amar.
Ninguém percebe, ninguém nunca percebe.
Nada que é metade me interessa, quero as coisas inteiras, muito integras e acabo ficando sozinha.
Restos não me interessam, chegue a mim com toda força do seu coração ou nem chegue.
Estou sentido outra vez os sinais do amor e dói, simplesmente porque ser intensa já é ser toda dolorida.
Tudo que eu desejo, tudo que eu quero, tudo que eu gosto... quanto percebe essa intensidade foge de mim, então eu te peço, não fuga, não se perca, não ME perca!
Eu sei que não é fácil, mas vai ser mais difícil sozinho.
Vem comigo, vamos descobrir as estrelas, cantar canções e fazer nada no domingo.
Só te peço uma coisa: não demora.
A vida me ensinou que por mais que eu queira alguém, absolutamente NINGUÉM vale tanto a pena a ponto de eu deixar de me querer bem.
Não transforma o meu tudo em nada...

terça-feira, setembro 14, 2010

Acredite.




"Amor, então, também acaba?Não que eu saiba.
O que eu sei é que se transforma numa matéria- prima
que a vida se encarrega de transformar em raiva.
Ou em rima."

Paulo Leminski

Não... Definitivamente ele já não rima mais comigo.
É algo assim descompassado, poema dadaísta, coisa sem sentido mesmo; qualquer tentativa de juntar o nome dele ao meu.
Não sei. Mas quero que seja assim.
Embora o que tiver de acontecer, acontecerá independente das minhas vontades, mesmo sabendo que estas ajudam a mover o universo (ou pelo menos o meu!).

Acredito nisso... sempre!

sábado, setembro 11, 2010

Preciso.


Preciso de mais coragem.
Preciso parar de me desdobrar para alcançar uma coisa que já foi embora.
Preciso compreender melhor que você não quer que eu voe contigo.
Preciso aceitar que minha esperança tá cada vez mais longe do meu sonho.
Preciso parar de me doer e tentar sorrir para o amor mesmo eu não o alcançando mais.
Preciso entender que ninguém tem a obrigação de completar o que eu acho que me falta. O problema é que sempre que eu digo que "não me importa", me importa e muito. Aprendi que não adianta gritar, quebrar as coisas, chorar, querer morrer... se não for pra ser, não vai ser. Mas só queria entender porque quando a gente demonstra sentimento a coisa se perde a toa, é que sei lá, hoje acordei com uma saudade e ao mesmo tempo com uma compreensão tão estranha. O que se pode fazer não é mesmo? Me doeu muito, me doí as vezes (quase sempre)... no começo me pareceu tão egoísta, mas quem sou eu para querer julgar o que se passou na cabeça dele naquele momento? Quem sou eu para querer discutir dos sentimentos dos outros? Preciso entender e as vezes acho que entendo, que enquanto eu o desejava ele desejava outra coisa. Sem ódio, sem rancor, somente aceitação. E o que eu realmente preciso é viver intensamente o presente porque ele também vai virar passado no futuro e eu sei também vou sentir a falta dele.

quarta-feira, setembro 08, 2010

Esqueça.



Esqueça tudo que te atormenta, deixe de lados os medos, os desesperos.
Olhe no espelho e se pergunte, o que mais vale a pena além de você?
Quem é que te socorria naquelas noites em que o ar te faltava e o choro não te deixava esquecer?
Quem é que te escutou quando você precisava dizer coisas sem sentidos?
Quem é que viveu seu maior pesadelo com você? Seja o que você quiser, vamos não tenha medo!
Esqueça. Esqueça as promessas que não foram cumpridas, os sonhos que foram se perdendo no caminho, a falta de esperança.
Recomece, tudo que precisa está dentro de você, dentro do seu coração que vê melhor do que qualquer binóculo, dentro da sua alma que voa mais longe do que qualquer pássaro, dentro do seu olhar que se você deixar pode brilhar mais do que qualquer estrela, dentro do seu sorriso que é capaz de desarmar o mundo.
Você sabe que quando a gente precisa a gente faz, quando a gente quer a gente consegue.
Quantas vezes você achou que não ia suportar?
Quantas vezes te falaram que não valia a pena?
Quantos "dragões" você já enfrentou?
Você consegue, você é um sonhador, você enfrentou todas as suas dores com uma coisa chamada AMOR.
Você é forte, não desista, porque você e eu sabemos o quão absurdo é olhar para uma estrela e não poder tocá-la. Não queira olhar muito para trás e nem muito para frente, a felicidade está aí, basta olhar ao lado.

domingo, setembro 05, 2010

(Sol)riso.



Sou composta de cansaço, delírios e poesia. A substância que me anima, também pode me desanimar.
Trago sol no (sol)riso, embora algumas vezes faça inverno em mim.
Composta de cansaço sim...
Causam- me cansaço amores com hora marcada para começar e terminar.
Palavras ensaiadas, poemas decorados, música que vem apenas da garganta para fora, e não das vísceras.
Sou toda vísceras, da cabeça aos pés. Meu sangue fervilha, minha pele queima, minhas ideias borbulham.
Causam-me cansaço sorrisos amarelos, mau humor cronico, falta de criatividade, desânimo diante do espetáculo da vida, desencanto.
Sou toda encantamento, do nascer ao pôr do sol!
Causam-me cansaço falta de inteligência, falta de educação, de perspectiva, de busca. Sonhos pequenos, pensamentos mesquinhos, hipocrisia em excesso (afinal, quem de nós não foi hipócrita ao menos uma vez?).
Sou toda busca, para mais tarde me tornar encontro!
Causam-me cansaço racionalidade que beira a frieza e emoção que beira a loucura. Paixão que beira a idolatria e amor que beira a doença. Sou de 15 de outubro, sou libra, sou equilíbrio!
Causam-me cansaço o tempo que passa sem parar e o que corre sem que o deixem notar. Dias demorados, problemas que se alongam, caminhos lineares, atalhos.
Causam-me cansaço a constância, a permânencia, a não totalidade das coisas e a falta de paixão pelo ser humano. Não nasci para metades, não vivo de metades! Sou composta por metamorfoses. Sou mais humana que divina, embora traga em meu ser as digitais de Deus que me criou para amar, para o amor!

quinta-feira, setembro 02, 2010

Não vá.





Tomara que você volte depressa, que você se despeça nunca mais do meu carinho e chore, se arrependa e pense muito que é melhor sofrer junto do que ser feliz sozinho.
Tomara que a tristeza te convença que a saudade não compensa que a ausência não dá paz e o verdadeiro amor de quem se ama tece a mesma atinga trama que não se desfaz.
E a coisa mais divina que há no mundo é viver cada segundo como nunca mais...

quarta-feira, setembro 01, 2010

Certo e errado.




"Do your right and not your wrong, when wrong is easy, and right is hard, and we´ve all got our waeknesses and only you know what your is. But your "tomorrows" are all that seem to escape from your lips..."

Tradução:

"Fazer o que é certo e não o que é errado, quando o errado é fácil e o certo é difícil, e todos temos as nossas fraquezas e só você sabe o que é seu. Mas seus "amanhãs" é tudo que parece escapar dos seus lábios..."

domingo, agosto 29, 2010

Atitudes



Palavras me conquistam temporariamente,
mas atitudes me ganham ou me perdem para sempre.

sábado, agosto 28, 2010

Morro de medo...



Meu maior medo é viver sozinho e não ter fé para receber um mundo diferente e não ter paz para se despedir.
Meu maior medo é almoçar sozinha, jantar sozinha e me esforçar em me manter ocupada para não provocar compaixão dos garçons.
Meu maior medo é ajudar as pessoas porque não sei me ajudar.
Meu maior medo é desperdiçar espaço em uma cama de casal, sem acordar durante a chuva mais revolta, sem adormecer diante da chuva mais branda.
Meu maior medo é a necessidade de ligar a TV enquanto tomo banho.
Meu maior medo é conversar com o rádio em engarrafamento.
Meu maior medo é de enfrentar um final de semana sozinho depois de ouvir os programas de meus colegas de trabalho.
Meu maior medo é a segunda- feira e me calar para não parecer estranho e anti- social.
Meu maior medo é escavar a noite para encontrar um par e voltar mais solteiro do que antes.
Meu maior medo é não conseguir acabar uma bebida sozinha.
Meu maior medo é a expectativa de dar certo na família, que não me deixa ao menos dar errado.
Meu maior medo é escutar uma música, entender a letra e faltar uma companhia para concordar comigo.
Meu maior medo é que a metade do rosto que apanho com a mão seja convencida a partir com a metade do rosto que não alcanço.
Meu maior medo é escrever para não pensar!

domingo, agosto 22, 2010

Cores, formas e tons



Quais os tons que você anda usando para pintar sua vida?
Os quentes? Que apimentam, esquentam, aquecem?
Os pasteis? Que tranquilizam, adoçam, harmonizam?
Os frios? Que neutralizam, acalmam, adormecem?
Já parou para pensar que a beleza das coisas; suas cores, seus tons, suas formas e até mesmo sua intensidade, depende tão somente dos olhos que as vê?
Filtre o que não te faz bem...
Abstraia o que não for para ficar...
E deixe que caiba apenas aquilo que flui!
O resto?
Ah... o resto sempre sai pela urina!

quinta-feira, agosto 19, 2010

O vento

Eu levanto a vela e espero o vento!
Abro os braços diante desse mar desconhecido, que me atrai intensamente, que me chama a mergulhar!
Eu quero o salto mais alto, mais demorado...
Quero sentir o vento em meus braços, erguendo meus pés do chão.
Quero ver o mundo de cima, do alto...
Ecoar meus desejos mais escondidos, mais humanos e mais divinos.
Que o vento assanhe meus cabelos. É tudo o que eu mais quero agora!
Que Deus beije minha face em forma de brisa leve mas que me tire do lugar em forma de tufão.
Eu quero a força de um furacão dançando dentro de mim!

terça-feira, agosto 17, 2010

Reencontro


"Amor é isto: a dialética entre alegria do encontro e a dor da separação.
De alguma forma, a gota da chuva aparecerá de novo, o vento permitirá que velejemos de novo, mar afora.
Morte e ressurreição. Na dialética do amor, a própria dialética do divino.
Quem não pode suportar a dor da separação, não está preparado para o amor.
Porque o amor não é algo que se tem nunca. É um evento de graça.
Aparece quando quer, e só nos resta ficar a espera. E quando ele volta, a alegria volta com ele.
E sentimos então que valeu a pena suportar a dor da ausência, pela alegria do reencontro."

Rubem Alves

domingo, agosto 15, 2010

Assim...


Por que insistir em molhar apenas as solas dos pés, se eu posso (eu quero) mergulhar?
Por que ficar comendo um chocolate por dia, se o querer é de engolir uma fábrica de chocolates inteirinha?
Pra que ficar brincando de jogo da verdade, se eu posso ter de verdade?
Por que se contentar com superfícies, sabendo mais que tudo que não nutro o menor tesão por nadar raso?
Sabe aquela horinha que você cansa de bancar a menininha boba, que se contenta com qualquer coisa?
Essa hora chegou ao fim!!

quarta-feira, agosto 11, 2010

sem avisos


Não sou um tipo de pessoa fácil.
Nunca disse que seria.
Tenho minhas convicções. Convença-me que as tuas são melhores e eu prometo rever meus conceitos, mas não me mande abandonar aquilo que aprendi a carregar por toda a vida, por uma mera conveniência...
Acredito com toda a força que um dia conseguirei o que sempre sonhei, desta forma, odeio ter ao meu lado pessoas pessimistas, choronas e com auto-estima baixa. Em um mundo com tantas desgraças, o que será de nós se nos colocarmos sempre como "desgraçados"?
Não... O desânimo definitivamente no que depender de mim, morrerá de fome!
Também não sou de alimentar tristezas. Não sou das que colocam músicas que lembram sentimentos contráriados, ou tragédias pessoais.
Sim... Eu acredito no amor! Acredito com todas as forças que ele existe.
Não que ele me venha montado em cavalos brancos, ou pulando janelas ou pedindo minha mão em casamento. Nada disso.
Prefito o amor simplicidade, o amor peculiar, o amor que não marca a hora nem data pra chegar!

Remar... Re-amar.. Amar!!


Eu entro nesse barco, é só me pedir.
Nem precisa do jeito certo, só dizer e eu vou.
Eu abandono tudo, história, passado, cicratizes.
Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia.
Mas você tem que remar também.
Eu desisto fácil, você sabe.
E talvez essa viajem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco é só me pedir.
Perco o medo de dirigir a noite na estrada só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia.
Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo.
Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir.
Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto.
Eu te ensino a nadar, juro!
Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças!
Você tem que me prometer que essa viajem não vai ser a toa, que vale a pena.
Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena.
Remar.
Re-amar.
Amar!


(Autor desconhecido)

sexta-feira, agosto 06, 2010

Feliz final de semana dos pais...Porque um dia é pouco demais!!


Abrir clareiras...
Acender fogueiras...
Clarear!
Claridade que corta a fria neblina, que desenha rastros na terra úmida, que ilumina a obscura floresta. Claridade que afugenta os males, que silencia os ruídos, os murmúrios, as lamentações. Claridade que encadeia os olhos do corpo, para fazer ver os olhos da alma.
Claridade infinita, permanente.
Do Aurélio tem-se: Qualidade do que é claro, luz viva e intensa, foco luminoso, brancura, alvura...
As significações são muitas e as formas de utilizá-las podem variar. Contudo, a claridade torna-se magnífica quando deslocada da categoria do substantivo para a de adjetivo. Quando deixa de qualificar um objeto para qualificar uma pessoa.
Uma pessoa tem em si a claridade, quando possui objetivos bem traçados, e embora não sabendo o caminho que seguirá, sabe muito bem o ponto onde que chegar.
Uma pessoa traz a claridade em si, quando é puro de coração, quando pratica o bem, fala o que faz, e faz o que acredita. Quando não se vê como personificação da perfeição, embora que a todo tempo busque-a em tudo que for fazer.
Pessoas desse tipo são invejadas, imitadas e muitas vezes desprezadas.
E por que?
Pelo simples fato de serem tão claras, que apenas poucos podem olhá-los sem que sejam ofuscados pela sua luminosidade.
Você é CLARIDADE!
É claridade para mim desde a primeira vez que meus olhos recém-nascidos te viram...
É claridade todas as vezes que lembro das broncas da adolescência, das piadas só nossas, das brincadeiras que só nós entendemos, do jeito meu que é tão teu e do teu que é tão meu!
Tua claridade estará em mim, mesmo quando um dia eu não puder mais ver-te.

Feliz dia dos pais!

quinta-feira, agosto 05, 2010

"... saber amar! "


Sabe aquela pessoa com que você mais sorriu nos últimos tempos?
AME-A.
Sabe aquele pessoa que mais te viu descabelada, com unha mal feita, roupa furada e chinelo de dedo?
AME-A.
Sabe aquela pessoa pra quem você liga quando esta sem fazer absolutamente nada, e com quem você fica horas conversando a maior bobagem da galáxia?
AME-A.
Sabe aquela pessoa que mais te deu o ombro pra que você chorasse?
AME-A.
Sabe aquela pessoa que sabe decorado o perfume preferido, a cor, a música, a comida, o sonho, o medo?
AME-A e nunca a deixe partir, mesmo que um dia isso seja inevitável!




"Amar sem penar é bem raro... O verbo cumprir custa caro... Amor é bem fácil de achar... O que acho mais difícil... é saber amar!"

Cartola

sexta-feira, julho 30, 2010

Para mim, pessoas são como textos...


Há quem prefira somente o título, a frase solta, em letras grandes, chamativas, mas não passa de uma linha. Títulos são convidativos, objetivos, as vezes até poéticos, mas que os próprios textos em si porém são sempre fugazes. Algumas pessoas são apenas títulos.

Há quem prefira epígrafe, frases também curtas, em sua maioria colocadas entre aspas por expressarem pensamentos alheios, porém que tem a ver com o conteúdo abordado. Epigrafes encantam, surpreendem, causam impacto ao texto, contudo, são furtos, pensamentos de outrem. Algumas pessoas são epigrafes!

Há quem prefira rodapé, que se contentam com letras miúdas, quase imperceptíveis, que se não estiveram sobre os olhares atentos, passam batidas. Muitos até dispensam os rodapés, por os acharem sem a menor importância, porém essas miudezas escondidas no final das páginas geralmente trazem explicações importantíssimas. Algumas pessoas são como rodapés.

Contudo, há quem ( Eu me encaixo nesse caso) prefira o texto inteiro: Título, epígrafe, desenvolvimento e rodapé! São mais difíceis de serem entendidos no seu todo. Levam mais tempo, requerem reflexão, calma e tranquilidade. Mas nada paga o gostinho de o ter "devorado" em sua totalidade, até que se chegue em seu ponto final.

Ponto final?

AH! Já ia esquecendo: Eu prefiro acabar com as reticências...

segunda-feira, julho 26, 2010

Profile...


Sou contrafluxo, contramão, ritmo, rima e emoção. Sou instinto, impulso e razão. Sou letras, linhas e lastros. Sou exagerada verborrágica, silenciosa, ás vezes apaixonada e delirante. Sou ouvidos e boca, tenho olhos pequenos, porém abertos. Sou inquietude, quietude, solidão e multidão. Saiu da história só pela história, e tenho dúvidas se eu a escolhi ou se fui escolhida por ela. Sou chuva, terra molhada, cadeira na calçada, vento no rosto... Sou outras, sou várias!
Meu sorriso não depende do seu, minhas idéias não seguem as correntezas, minhas palavras não são doces sempre. Não sou "Pirua", sou pipoca!!

terça-feira, julho 20, 2010

Feliz dia do amigo!!

-Sabe, estive pensando aqui com meus botões: Nós somos milionárias mesmo...
-Hã? Oo
-Temos o tesouro mais invejável por todos...
-É? Qual?
-Temos amigos verdadeiros!
-É verdade...
-E o melhor de tudo... Faltam dedos pra contar!
-Pois é! Incrível!
-Pense comigo: O dinheiro seria capaz de comprar as conversas gostosas? O dinheiro seria capaz de comprar as comédias? O dinheiro seria capaz de comprar as palhaçadas? Ou mesmo a saudade que sentimos quando não estão conosco? Teria dinheiro suficiente para comprar um abraço gostoso? Ou ataques de ciúmes? Imagina aí comprar com dinheiro as gargalhadas em um pacote só? Ou o equilíbrio desequilibrado? E a criatividade? E a doçura?
-Puts! Tem razão... Somos ricas!

Isso não cabe em palavras, nem em fotos, só no coração!

sexta-feira, julho 16, 2010

Vida..

Tem dias que você realmente está cansada da vida...
As coisas parecem andar em câmera lenta...
Os planos parecem ter sido escritos a lápis invisível.
Mas então, você se dá conta que ser feliz mesmo é aproveitar cada lentidão dessas...viver casa segundinho!
Como as borboletas que ainda crisálias, esperam com calma o momento de ver seu casúlo se abrir!

Tenho ância de vôo e sei que vou chegar!

quarta-feira, julho 14, 2010

Um dia...

Aprendi que a vida apesar de ser bruta, é meio mágica.
Dá sempre pra tirar um coelho da cartola, e lá vou eu nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meio burras, tentar acertar os passos.
Sem me preocupar se a próxima etapa será um tombo ou voo.
Tento subir...
Mas caio, arranho os pulsos, sai sangue, dói muito.
Sempre tento subir, sempre caio outra vez.
Mas sei que um dia eu consigo!

quarta-feira, julho 07, 2010

Chaplin é Chaplin!!

"Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo.
Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze.
Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível.
Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos.
Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar para o resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela.
Não tem esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos."

Charles Chaplin

domingo, julho 04, 2010

Eu te ensino a fazer rênda, que mais posso te ensinar...

Pego linha e agulha... Costuro meus remendos.
Me (re)faço a cada dia, como se cada dia tivesse a sua novidade em mim.
E talvez tenha!
Sou uma colcha de momentos vividos, costurada com retalhos de uma vida de altos e baixos, quedas e saltos, de lágrimas e risos...
Pego linha de agulha e me (re)faço... E não me canso de (re)fazer.
Pelas minhas mãos dou-me forma... Pelas outras mãos ganho formas.
Mútliplas, infinitas, inumeráveis formas que não param de se formar, que se (de)formam, que se (trans)formam a cada toque sentido.
Pego linha e agulha e me construo.
Essa obra inacabada que me tornei, é parte do que sou.
Meu próprio ser que surge em gestos, risos e vozes, para tornar visível o que a muitos é invisível.
Para mostrar que sou mais, bem mais!
Que sou EU do deitar ao levantar...
Pego linha e agulha... Sou aprendiz de mim!
Eu já não sou mais a mesma.
Sou melhor que ontem, e sinto que amanhã serei bem mais do que hoje.
E continuo aprendendo...

quinta-feira, julho 01, 2010

Curativo

Prefiro mil vezes ser a ferida, que deixa a cicatriz, do que ser a tentativa de um curativo na vida de alguém!
É difícil engolir essa verdade?
Certamente!
Contudo, tentar ser curativo muitas vezes é bem mais frustante.
Não tenho vocação para band- aind.
Me recuso a ser o que a outra não foi.
Me recuso fazer o que ela não fez.
Me recuso a repetir o que de bom ela deixou.
Me recuso a ser comparada, analisada, igualada!
Me recuso a não poder amar na minha particularidade, do meu jeito, a minha maneira.
Prefiro pecar por causar eventualmente (ou involuntariamente, diga-se de passagem...)
uma cicatriz, a ter que me contentar com a função sem graça de um curativo!

terça-feira, junho 29, 2010

Pra você!

Espero que daqui pra frente tudo se renove pra nós dois, nossas vidas são tão diferentes, viva agora tudo que sonhou.
Muita coisa ainda esta por vir, muita coisa ainda vai mudar, mas espero que daqui pra frente eu siga o meu caminho e você siga o seu, e acho isso que isso é mais forte do que eu.
Tive minha chance e não sobrou mais nada que possa fazer você ficar.

A coisa mais importante é não se amargar pelas decepções da vida.
Aprender a deixar o passado pra trás, e reconhecer que nem todo dia será ensolarado.
E quando você se encontrar perdido na escuridão e no desespero, lembre-se é somente na escuridão da noite que podemos ver as estrelas, e essas estrelas o guiarão para casa.
Então não tenha medo de cometer erros. Ou tropeçar. De cair.
Pois na maioria das vezes os melhores prêmios vêm quando se faz aquilo que você mais teme.
Talvez você consiga tudo que deseja.
Talvez você consiga mais do que jamais tenha imaginado.
Quem sabe onde a vida te leverá? A estrada é longa!

sexta-feira, junho 25, 2010

Porque é tão fácil sofrer?

Prometi que não irira chorar, no entanto certas lágrimas não consigo evitar.
Porque é tão fácil sofrer?
Garotas grandes não choram e eu sei que é ridículo chorar por algo que de fato não chegou nem ao menos a se concretizar, mas o que eu posso fazer se meu coração esta gritando.
Pior do que ser garota é ser romântica, sonhadora e boba.
Quando se acretida que o amor pode sim existir e que um belo dia, você vai viver um lindo conto de fadas, o que de fato parece não se encaixar na minha história.
Prometi que não iria chorar, no entanto certas lágrimas não consigo evitar.
Porque é tão fácil sofrer??

quinta-feira, junho 24, 2010

Outros ares...

E colocamos a culpa em tudo: Seja na falta de romantismo dos tempos ultramodernos, seja na despreocupação fulgaz com relação a compromissos, seja na "pouca oferta para muita procura".
E blá blá blá.. Homens isso, mulheres aquilo.
Em quem momentos paramos para ver que o problema está em nós?!
Em que momento nos damos conta de que o novo parece assombroso aos nossos olhos e por isso simplismente nos trancamos a tudo que diga a respeito à novidades, mudanças?!
Quando é que vamos confessar a nós mesmo que adoramos carregar agarrado ao nosso calcanhar, aquele velho baú de coisas ainda mais velhas?
Somos injustos meus queridos! Injustos conosco, com nossos sentimentos e com quem tenta se aproximar de nós, afim de nos mostrar apenas que a felicidade pode habitar em outras tendas, em outros ares, outros perfumes...


É mais ou menos como aquele música de Pitty:



"... E não adianta nem me procurar em outros timbres, outros risos..."



Não adianta mesmo!
Depois de um tempo você vai perceber que o timbre não é o mesmo, o riso nem se parece em nada e pior, que você perdeu seu tempo procurando semelhaças, enquanto as singularidades daquela pessoa passavam despercebidas aos seus olhos.
E aí talvez já seja tarde demais!



A felicidade pode sim habitar em outras tendas, mas depende de você a coragem para abrir a porta!

segunda-feira, junho 21, 2010

Faxina

Nunca pensei que esse dia fosse chegar.
Aliás, pensar eu até pensei, mas fui adiando o quanto pude, o tanto que a minha falta de coragem me permitiu!
Mas hoje...
Hoje CHEGA!
Resolvi abrir meu "guarda-roupa" e me desfazer das velhas roupas que trago comigo a algum tempo. Entende-se a metáfora!
Umas estavam mofadas, outras corroídas pela traça, outras desabotadas, sem graça, sem jeito, sem uso!
Nunca pensei que fazer isso fosse doer tanto, mas é que meu "guarda-roupas" está mesmo precisando de espaço, de ar, de "roupas novas".
Dói, dói até nos ossos da alma.
Mas meu cansaço pedia isso, minha alma clamava por isso e meu coração...
Meu coração, ops! digo... meu "guarda-roupas" precisava deixar entrar nova luz, novo ar, nova cor, novos timbres, novas tendências...
Chega de colocar naftalina pelos cantos, chega de colocar remendos que logo logo arrebentarão.
CHEGA!!
Já deu, já foi...

Agora é só deixar entrar... Mesmos que minhas pernas tremam de medo só de sentir essa sensação!

Estou bem!!

sexta-feira, junho 18, 2010

E nada mais...

Chegue sem avisos! Nada de fogos de artifício, músicas de fundo, apresentações.
Chegue como se "chegar" fosse por sí só seu maior espetáculo, aquele mais esperado, mais desejado, embora sentada na platéia esteja apenas uma pessoa.
Chegue e não olhe pra trás, e se ainda olhar, que seja apenas para ter certeza de que as renúncias que fizestes foram as certas, que tudo valerá a pena.
Chegue sem amarras, sem correntes. Venha da forma que és, na maior das imperfeições, com os maiores dos erros.
Eu quero assim...
Vento nos cabelos, pés descalços e sujos de tanto caminhar, suor escorrendo no rosto e um sorriso contagiante nos lábios.
Eu quero assim...
Felicidade transbordando pelos poros, sonhos e planos na cabeça e um coração descompassado de tanto amor.
Me venha sem aviso prévio, sem mandar email, telegrama, recado debaixo da porta.
Surpreenda-me como ninguém jamais o fez. Abrace-me como nunca antes senti, beije-me como se viver fosse apenas isso e nada mais.

quarta-feira, junho 16, 2010

Sobre poeira, perfumes e memórias

E me perguntam porque sou feita de lembranças...
Sei lá!
De que outra substância poderia ser feita então?
Eu não tenho motivos para esquecer o que vivi.
Eu gosto mesmo é de ser "museu"...
Sem que para isso eu precise exumar corpos já estão em putrefação!
Eu gosto de (re)viver lembranças e não pessoas (algumas quem sabe).
Eu gosto mesmo é de acumular histórias, risos, tons, sons e perfumes.
Gosto...
Gosto do cheiro antigo, do papel amarelado, da rosa já seca colocada cuidadosamente dentro de um livro velho, da fotografia sem brilho.
Eu sou feita de folhas secas, de poeira, de poesias já declamadas, de música fora de moda.
Trago em mim a velhice que ainda está por vir.
Vivo o presente intensamente, mas tenho uma memória super-povoada!
Mas sabem qual é mesmo o problema?
Quando você já teve muito, o pouco é pouco demais.

terça-feira, junho 15, 2010

Releva que a vida leva!

Bom mesmo é esse "faz de conta" diário!
Essa possibilidade que nos chega de sermos o que queremos,
de assumir um papel que bem entender.
Eu posso ser mocinha ou a bandida, e quem dirá que estou errada?
A vida é minha, o palco é meu, a cena me pertence, a atriz principal não será ninguém além de mim...
Só obedeço as regras do Grande Diretor, que ainda por cima, me dá uma coisinha chamada "livre-arbítrio".
E quanto a você?
Você pode tomar conta da sua cena, do seu palco, do seu papel.
A peça que dramatizo é minha...
Você escolhe.
Assiste ou não assiste.
Mas modificá-la...Ahh, é preciso muito peito pra isso!
Poucos conseguiram.
Arrisque-se.
Fácil assim!!

domingo, junho 13, 2010

Quem?

Pensar...
Ponderar...
Manter o equilíbrio...

Saber exatamente o que deve ser dito, o que deve ser calado, o que deve ser demonstrado, o que deve ser encenado.

Vocês já pararam pra pensar que todo mundo reclama da falta de romantismo no século XXI? Mas caramba.. como é que pode ser romântico se as imposições pesam toneladas em nossas costas?

Se mando um e-mail dizendo o que sinto.. Sou fraca!
Se falo descaradamente que é com ele que eu quero ficar... Sou burra!
Se não falo nada disso e fico na minha.. "Puts, mas também como é que se vai adivinhar?"

E a bagunça aqui dentro de mim, quem organiza???

sorriso..

Tem dias que esse sorriso no rosto me causa um imenso incomodo..
Sei lá, tem dias que tudo que mais desejo é aquele mau humor matinal que as pessoas normais possuem.
Não sei acordar sem mostrar os dentes ao sol que queima as manhãs.
Nunca soube!
Acho que tive mesmo é que aprender a chorar, porque sorrir, isso eu ja nasci sabendo fazer!!

sábado, junho 12, 2010

Mais ou menos assim..

Nesse mundo há 6 bilhões, 470 milhões, 818 mil, 671 pessoas no mundo..
Algumas estão fugindo assustadas.
Algumas estão voltando pra casa.
Algumas dizem mentiras pra suportar o dia.
Outras estão somente agora enfrentando a verdade.
Alguns são maus indo contra o bem..
e alguns são bons lutando contra o mal.
Seis bilhões de pessoas no mundo,
Seis bilhões de almas..
e as vezes tudo que nós queremos é apenas uma!

Esses meu quereres..

Queria tão somente ser colo..
E ter por segundos que fosse tua cabeça pesando bem aqui. Peso que aguentaria por uma eternidade, trazendo junto o cheiro dos seus cabelos ainda molhados, na pressa de me encontrar ancisosa em minha casa, esperando que faças presença.

Queria tão somente ser ouvidos..
E ter por segundos que fosse tua sonoridade bem aqui. Angustias, medos, dúvidas, confidências, conquistas, planos..Tudo assim exposto, na confiança de quem fala para quem ouve. Voz leve, segura. Riso solto, de menino..Seu riso. Meu riso..

Queria tão somente ser olhos..
Te ver por segundos, em minha frente, bem aqui. Saber se andas do mesmo jeito, se vestes as mesmas roupas, se tens as mesmas mãos, tão delicadas, tão minhas..Poder brincar com tua barba mal feita, fazer palhaçadas para te ver sorrir, te puxar pelo braço e te levar comigo para ser feliz.

Queria tão somente ser olfato..
Te ver por segundos que fosse, em minha pele, bem aqui. Cheiro verde de um campo extenso, ainda molhado pela chuva ao fim da tarde. Cheiro bom de paz, segurança. Daquele perfume que ficou, depois do jantar carinhoso, em tudo que é meu, em mim..

Queria tão somente..
E são tantos quereres que me tomam que acabo por concordar com Nietzsche: "talvez o que eu ame mesmo seja o desejo e não o desejado!"

sexta-feira, junho 11, 2010

Fotografia

Não posso mais passar tanto tempo tentando esquecer você,
Não posso mais passar assim pela vida dependendo de você,
Não posso mais fingir que você nunca foi ninguém.
Você me marcou no passado.
Ainda estou recomeçando.
Ainda vejo você recebendo outros beijos.

Quero esquecer nossa história.
Quero ter sonhos novos.
Quero me encontrar outra vez.

Ainda estou caindo, machucada.
Nunca mais vou deixar você me tocar outra vez.

Devolva meus sonhos, pelo menos minhas asas.
Fique longe de mim com os seus medos.
Você nunca soube cuidar do meu coração.
Me deixa.. sai de dentro de mim.
Eu nunca quis você aqui.
Volte para o seu mundo!
É difícil me iludir.
Porque não costumo esperar muito de ninguém.
Odeio aperto de mão, tumulto, calor, gente burra e quem não sabe mentir direito.
Não puxo saco de ninguém, detesto de quem puxa meu saco também.
Não faço amizade por conveniência, não sei rir se não estou achando graça,
não atendo o telefone se não estou com vontade de conversar!
Tô tirando férias..
dando um tempo disso, chega de amar..
chega de me doar, chega de me doer!!