terça-feira, junho 29, 2010

Pra você!

Espero que daqui pra frente tudo se renove pra nós dois, nossas vidas são tão diferentes, viva agora tudo que sonhou.
Muita coisa ainda esta por vir, muita coisa ainda vai mudar, mas espero que daqui pra frente eu siga o meu caminho e você siga o seu, e acho isso que isso é mais forte do que eu.
Tive minha chance e não sobrou mais nada que possa fazer você ficar.

A coisa mais importante é não se amargar pelas decepções da vida.
Aprender a deixar o passado pra trás, e reconhecer que nem todo dia será ensolarado.
E quando você se encontrar perdido na escuridão e no desespero, lembre-se é somente na escuridão da noite que podemos ver as estrelas, e essas estrelas o guiarão para casa.
Então não tenha medo de cometer erros. Ou tropeçar. De cair.
Pois na maioria das vezes os melhores prêmios vêm quando se faz aquilo que você mais teme.
Talvez você consiga tudo que deseja.
Talvez você consiga mais do que jamais tenha imaginado.
Quem sabe onde a vida te leverá? A estrada é longa!

sexta-feira, junho 25, 2010

Porque é tão fácil sofrer?

Prometi que não irira chorar, no entanto certas lágrimas não consigo evitar.
Porque é tão fácil sofrer?
Garotas grandes não choram e eu sei que é ridículo chorar por algo que de fato não chegou nem ao menos a se concretizar, mas o que eu posso fazer se meu coração esta gritando.
Pior do que ser garota é ser romântica, sonhadora e boba.
Quando se acretida que o amor pode sim existir e que um belo dia, você vai viver um lindo conto de fadas, o que de fato parece não se encaixar na minha história.
Prometi que não iria chorar, no entanto certas lágrimas não consigo evitar.
Porque é tão fácil sofrer??

quinta-feira, junho 24, 2010

Outros ares...

E colocamos a culpa em tudo: Seja na falta de romantismo dos tempos ultramodernos, seja na despreocupação fulgaz com relação a compromissos, seja na "pouca oferta para muita procura".
E blá blá blá.. Homens isso, mulheres aquilo.
Em quem momentos paramos para ver que o problema está em nós?!
Em que momento nos damos conta de que o novo parece assombroso aos nossos olhos e por isso simplismente nos trancamos a tudo que diga a respeito à novidades, mudanças?!
Quando é que vamos confessar a nós mesmo que adoramos carregar agarrado ao nosso calcanhar, aquele velho baú de coisas ainda mais velhas?
Somos injustos meus queridos! Injustos conosco, com nossos sentimentos e com quem tenta se aproximar de nós, afim de nos mostrar apenas que a felicidade pode habitar em outras tendas, em outros ares, outros perfumes...


É mais ou menos como aquele música de Pitty:



"... E não adianta nem me procurar em outros timbres, outros risos..."



Não adianta mesmo!
Depois de um tempo você vai perceber que o timbre não é o mesmo, o riso nem se parece em nada e pior, que você perdeu seu tempo procurando semelhaças, enquanto as singularidades daquela pessoa passavam despercebidas aos seus olhos.
E aí talvez já seja tarde demais!



A felicidade pode sim habitar em outras tendas, mas depende de você a coragem para abrir a porta!

segunda-feira, junho 21, 2010

Faxina

Nunca pensei que esse dia fosse chegar.
Aliás, pensar eu até pensei, mas fui adiando o quanto pude, o tanto que a minha falta de coragem me permitiu!
Mas hoje...
Hoje CHEGA!
Resolvi abrir meu "guarda-roupa" e me desfazer das velhas roupas que trago comigo a algum tempo. Entende-se a metáfora!
Umas estavam mofadas, outras corroídas pela traça, outras desabotadas, sem graça, sem jeito, sem uso!
Nunca pensei que fazer isso fosse doer tanto, mas é que meu "guarda-roupas" está mesmo precisando de espaço, de ar, de "roupas novas".
Dói, dói até nos ossos da alma.
Mas meu cansaço pedia isso, minha alma clamava por isso e meu coração...
Meu coração, ops! digo... meu "guarda-roupas" precisava deixar entrar nova luz, novo ar, nova cor, novos timbres, novas tendências...
Chega de colocar naftalina pelos cantos, chega de colocar remendos que logo logo arrebentarão.
CHEGA!!
Já deu, já foi...

Agora é só deixar entrar... Mesmos que minhas pernas tremam de medo só de sentir essa sensação!

Estou bem!!

sexta-feira, junho 18, 2010

E nada mais...

Chegue sem avisos! Nada de fogos de artifício, músicas de fundo, apresentações.
Chegue como se "chegar" fosse por sí só seu maior espetáculo, aquele mais esperado, mais desejado, embora sentada na platéia esteja apenas uma pessoa.
Chegue e não olhe pra trás, e se ainda olhar, que seja apenas para ter certeza de que as renúncias que fizestes foram as certas, que tudo valerá a pena.
Chegue sem amarras, sem correntes. Venha da forma que és, na maior das imperfeições, com os maiores dos erros.
Eu quero assim...
Vento nos cabelos, pés descalços e sujos de tanto caminhar, suor escorrendo no rosto e um sorriso contagiante nos lábios.
Eu quero assim...
Felicidade transbordando pelos poros, sonhos e planos na cabeça e um coração descompassado de tanto amor.
Me venha sem aviso prévio, sem mandar email, telegrama, recado debaixo da porta.
Surpreenda-me como ninguém jamais o fez. Abrace-me como nunca antes senti, beije-me como se viver fosse apenas isso e nada mais.

quarta-feira, junho 16, 2010

Sobre poeira, perfumes e memórias

E me perguntam porque sou feita de lembranças...
Sei lá!
De que outra substância poderia ser feita então?
Eu não tenho motivos para esquecer o que vivi.
Eu gosto mesmo é de ser "museu"...
Sem que para isso eu precise exumar corpos já estão em putrefação!
Eu gosto de (re)viver lembranças e não pessoas (algumas quem sabe).
Eu gosto mesmo é de acumular histórias, risos, tons, sons e perfumes.
Gosto...
Gosto do cheiro antigo, do papel amarelado, da rosa já seca colocada cuidadosamente dentro de um livro velho, da fotografia sem brilho.
Eu sou feita de folhas secas, de poeira, de poesias já declamadas, de música fora de moda.
Trago em mim a velhice que ainda está por vir.
Vivo o presente intensamente, mas tenho uma memória super-povoada!
Mas sabem qual é mesmo o problema?
Quando você já teve muito, o pouco é pouco demais.

terça-feira, junho 15, 2010

Releva que a vida leva!

Bom mesmo é esse "faz de conta" diário!
Essa possibilidade que nos chega de sermos o que queremos,
de assumir um papel que bem entender.
Eu posso ser mocinha ou a bandida, e quem dirá que estou errada?
A vida é minha, o palco é meu, a cena me pertence, a atriz principal não será ninguém além de mim...
Só obedeço as regras do Grande Diretor, que ainda por cima, me dá uma coisinha chamada "livre-arbítrio".
E quanto a você?
Você pode tomar conta da sua cena, do seu palco, do seu papel.
A peça que dramatizo é minha...
Você escolhe.
Assiste ou não assiste.
Mas modificá-la...Ahh, é preciso muito peito pra isso!
Poucos conseguiram.
Arrisque-se.
Fácil assim!!

domingo, junho 13, 2010

Quem?

Pensar...
Ponderar...
Manter o equilíbrio...

Saber exatamente o que deve ser dito, o que deve ser calado, o que deve ser demonstrado, o que deve ser encenado.

Vocês já pararam pra pensar que todo mundo reclama da falta de romantismo no século XXI? Mas caramba.. como é que pode ser romântico se as imposições pesam toneladas em nossas costas?

Se mando um e-mail dizendo o que sinto.. Sou fraca!
Se falo descaradamente que é com ele que eu quero ficar... Sou burra!
Se não falo nada disso e fico na minha.. "Puts, mas também como é que se vai adivinhar?"

E a bagunça aqui dentro de mim, quem organiza???

sorriso..

Tem dias que esse sorriso no rosto me causa um imenso incomodo..
Sei lá, tem dias que tudo que mais desejo é aquele mau humor matinal que as pessoas normais possuem.
Não sei acordar sem mostrar os dentes ao sol que queima as manhãs.
Nunca soube!
Acho que tive mesmo é que aprender a chorar, porque sorrir, isso eu ja nasci sabendo fazer!!

sábado, junho 12, 2010

Mais ou menos assim..

Nesse mundo há 6 bilhões, 470 milhões, 818 mil, 671 pessoas no mundo..
Algumas estão fugindo assustadas.
Algumas estão voltando pra casa.
Algumas dizem mentiras pra suportar o dia.
Outras estão somente agora enfrentando a verdade.
Alguns são maus indo contra o bem..
e alguns são bons lutando contra o mal.
Seis bilhões de pessoas no mundo,
Seis bilhões de almas..
e as vezes tudo que nós queremos é apenas uma!

Esses meu quereres..

Queria tão somente ser colo..
E ter por segundos que fosse tua cabeça pesando bem aqui. Peso que aguentaria por uma eternidade, trazendo junto o cheiro dos seus cabelos ainda molhados, na pressa de me encontrar ancisosa em minha casa, esperando que faças presença.

Queria tão somente ser ouvidos..
E ter por segundos que fosse tua sonoridade bem aqui. Angustias, medos, dúvidas, confidências, conquistas, planos..Tudo assim exposto, na confiança de quem fala para quem ouve. Voz leve, segura. Riso solto, de menino..Seu riso. Meu riso..

Queria tão somente ser olhos..
Te ver por segundos, em minha frente, bem aqui. Saber se andas do mesmo jeito, se vestes as mesmas roupas, se tens as mesmas mãos, tão delicadas, tão minhas..Poder brincar com tua barba mal feita, fazer palhaçadas para te ver sorrir, te puxar pelo braço e te levar comigo para ser feliz.

Queria tão somente ser olfato..
Te ver por segundos que fosse, em minha pele, bem aqui. Cheiro verde de um campo extenso, ainda molhado pela chuva ao fim da tarde. Cheiro bom de paz, segurança. Daquele perfume que ficou, depois do jantar carinhoso, em tudo que é meu, em mim..

Queria tão somente..
E são tantos quereres que me tomam que acabo por concordar com Nietzsche: "talvez o que eu ame mesmo seja o desejo e não o desejado!"

sexta-feira, junho 11, 2010

Fotografia

Não posso mais passar tanto tempo tentando esquecer você,
Não posso mais passar assim pela vida dependendo de você,
Não posso mais fingir que você nunca foi ninguém.
Você me marcou no passado.
Ainda estou recomeçando.
Ainda vejo você recebendo outros beijos.

Quero esquecer nossa história.
Quero ter sonhos novos.
Quero me encontrar outra vez.

Ainda estou caindo, machucada.
Nunca mais vou deixar você me tocar outra vez.

Devolva meus sonhos, pelo menos minhas asas.
Fique longe de mim com os seus medos.
Você nunca soube cuidar do meu coração.
Me deixa.. sai de dentro de mim.
Eu nunca quis você aqui.
Volte para o seu mundo!
É difícil me iludir.
Porque não costumo esperar muito de ninguém.
Odeio aperto de mão, tumulto, calor, gente burra e quem não sabe mentir direito.
Não puxo saco de ninguém, detesto de quem puxa meu saco também.
Não faço amizade por conveniência, não sei rir se não estou achando graça,
não atendo o telefone se não estou com vontade de conversar!
Tô tirando férias..
dando um tempo disso, chega de amar..
chega de me doar, chega de me doer!!