quinta-feira, junho 24, 2010

Outros ares...

E colocamos a culpa em tudo: Seja na falta de romantismo dos tempos ultramodernos, seja na despreocupação fulgaz com relação a compromissos, seja na "pouca oferta para muita procura".
E blá blá blá.. Homens isso, mulheres aquilo.
Em quem momentos paramos para ver que o problema está em nós?!
Em que momento nos damos conta de que o novo parece assombroso aos nossos olhos e por isso simplismente nos trancamos a tudo que diga a respeito à novidades, mudanças?!
Quando é que vamos confessar a nós mesmo que adoramos carregar agarrado ao nosso calcanhar, aquele velho baú de coisas ainda mais velhas?
Somos injustos meus queridos! Injustos conosco, com nossos sentimentos e com quem tenta se aproximar de nós, afim de nos mostrar apenas que a felicidade pode habitar em outras tendas, em outros ares, outros perfumes...


É mais ou menos como aquele música de Pitty:



"... E não adianta nem me procurar em outros timbres, outros risos..."



Não adianta mesmo!
Depois de um tempo você vai perceber que o timbre não é o mesmo, o riso nem se parece em nada e pior, que você perdeu seu tempo procurando semelhaças, enquanto as singularidades daquela pessoa passavam despercebidas aos seus olhos.
E aí talvez já seja tarde demais!



A felicidade pode sim habitar em outras tendas, mas depende de você a coragem para abrir a porta!

Nenhum comentário:

Postar um comentário