terça-feira, setembro 14, 2010

Acredite.




"Amor, então, também acaba?Não que eu saiba.
O que eu sei é que se transforma numa matéria- prima
que a vida se encarrega de transformar em raiva.
Ou em rima."

Paulo Leminski

Não... Definitivamente ele já não rima mais comigo.
É algo assim descompassado, poema dadaísta, coisa sem sentido mesmo; qualquer tentativa de juntar o nome dele ao meu.
Não sei. Mas quero que seja assim.
Embora o que tiver de acontecer, acontecerá independente das minhas vontades, mesmo sabendo que estas ajudam a mover o universo (ou pelo menos o meu!).

Acredito nisso... sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário