quarta-feira, setembro 15, 2010

É...



Dei para pensar que sou tipo de pessoa que gosta de auto destruir, tenho bebido demais para enganar minha dor, sorrido demais para disfarçar meu desespero, frequentando demais lugares que não gosto, tenho dormido pouco e minhas olheiras no outro dia mostram que eu não sei amar.
Ninguém percebe, ninguém nunca percebe.
Nada que é metade me interessa, quero as coisas inteiras, muito integras e acabo ficando sozinha.
Restos não me interessam, chegue a mim com toda força do seu coração ou nem chegue.
Estou sentido outra vez os sinais do amor e dói, simplesmente porque ser intensa já é ser toda dolorida.
Tudo que eu desejo, tudo que eu quero, tudo que eu gosto... quanto percebe essa intensidade foge de mim, então eu te peço, não fuga, não se perca, não ME perca!
Eu sei que não é fácil, mas vai ser mais difícil sozinho.
Vem comigo, vamos descobrir as estrelas, cantar canções e fazer nada no domingo.
Só te peço uma coisa: não demora.
A vida me ensinou que por mais que eu queira alguém, absolutamente NINGUÉM vale tanto a pena a ponto de eu deixar de me querer bem.
Não transforma o meu tudo em nada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário