sexta-feira, outubro 29, 2010

Amor.


É quando as músicas fazem lembrar, quando o passar do tempo trás recordações ou quando tenta saber notícias que quase nunca chegam, que eu tenho a certeza:
Tenho um amor que é gigante!
Um amor que chegou quando eu não pedi, que foi quando eu não queria, mas que deixou seus chinelos, em par, à beira da cama e seu perfume em minha pele!
Ele ficará aqui até quando quiser, porque eu já cansei de tentar expulsá-lo...
Porque eu sei que ele só vai embora, quando outro, mais atrevido e corajoso tomar o espaço que ainda é seu!

terça-feira, outubro 26, 2010

O calor.


Eu não dispenso o calor humano em nenhum momento da minha vida.
Eu gosto mesmo é de sentir o cheiro do outro, de perceber a diferença no andar, no tom da voz, no gosto musical.
Gosto dos gestos, do português errado, das piadas internas e externas.
Fico observando o balançar dos braços, o molejo, o ritmo individual e que caracteriza a identidade de cada um!
Eu gosto da personalidade, essa que não se empresta, que se tem e pronto!
Eu gosto na verdade é de gente!
De todas as cores, times, partidos e credos!

sexta-feira, outubro 22, 2010

Nada é o que parece...



Ao se aproximar, saiba que nem tudo é o que parece!
Voz calma não demonstra medo...
Sorriso aberto não demonstra inocência...
Feminilidade não demonstra submissão...
Sentir-se só não demonstra carência...
Querer apaixonar-se não demonstra não saber viver sozinha...
Ser religiosa não é, nem nunca será, sinonimo de ortodoxia ou fanatismo!
Ser idealista não apaga o realismo presente em mim...
Ser héterossexual não me impede de ser amiga de homossexuais...
Eu gosto da troca, do bilateral, da interdisciplinaridade, de fusão, do hibridismo, do humanismo!
E só mais um aviso: Se chegar perto, o problema é seu!
Para depois não dizer que não avisei!

terça-feira, outubro 19, 2010

É...


Já faz tanto tempo que eu escondo toda uma vida por trás de um sorriso.
Hoje cheguei em casa tão cansada, olhei para as roupas espalhadas na minha cama, os sapatos bagunçados, as maquiagens jogadas na pia e de repente me passou pela cabeça "por que eu faço isso?".
Me bateu um desespero, para provar para as pessoas o quão forte eu era e tudo aquilo foi me parecendo tão vazio, entende?
Sei lá, é que quando a gente fica cansada a gente acaba ficando consequentemente mais emotivo. Me sinto frágil, talvez eu ainda não tenha aprendido a me relacionar com as pessoas. Eu preciso sentir que "alguém" ainda sente. Fico parada aqui no chão, olhando tudo e começo a pensar que dá para recomeçar, sempre dá e eu já fiz isso tantas vezes.
Não adianta, existem pessoas como eu, com sentimentos diferentes, que vêem o amor diferente, a vida diferente.
É complicado, porém amanhã é um novo dia e eu, você, nós sabemos que a vida não perdoa mas mesmo assim é tão bom saber que em todo amanhecer é dado a nós a oportunidade de brilhar com o sol.

sexta-feira, outubro 15, 2010

Asas


Tem dias, como hoje, que sinto uma enorme vontade de girar, girar, girar até ficar tonta e cair no chão, como eu fazia quando era menor.
Olho para o céu e acho a coisa mais linda aqueles pássaros voando, sempre quis ser um pássaro, mesmo querendo tanto eu tinha medo, pássaros migram não é?!
E era disso que eu tinha e tenho tanto medo do que não fica para sempre.
Talvez esse seja o preço da felicidade, aceitar que as pessoas assim como os pássaros também migram.
Minha maior fraqueza é perder as pessoas e a vida me testa a cada segundo, leva tudo embora, mas venho aprendendo a respeitar a vida, o tempo de cada pessoa e acima de tudo minha fraqueza.
Só que eu quero mais do que isso, eu quero tudo aquilo que eu não entendo, ao longo da vida venho acumulando asas.
Quero muito, quero tudo, quero o mundo!
Faço minhas asas em cima das minhas perdas, porque sei que mesmo tendo medo de migrar eu nasci para voar.

"É difícil aprisionar os que têm asas."

sexta-feira, outubro 08, 2010

Para ser mais...


Eu peço que eu saiba ser imensidão diante dos furacões da vida. Que eu nunca abandone a prudência, mesmo que a hipocrisia do mundo teime em fazer barulho.

Eu peço que eu sabia ser delicada diante da grosseria alheia. Mas que eu saiba sempre defender meus ideais, até que me provem que estes não são tão bons como imaginava.

Eu peço que saiba ser tolerância diante da mediocridade humana, e que eu saiba dividir aqueles que não tiveram oportunidades, daqueles que as desperdiçam por usá-las para o mal.

Eu peço que eu receba sempre aquilo que eu merecer. Que se for pouco, eu saiba reconhecer a minha fraqueza. E se for muito, que eu agradeça pela força para lutar pelo que sempre sonhei!

domingo, outubro 03, 2010

O espontâneo.


Sou movida por carinho espontâneo, sorrisos sinceros e palavras que saem das entranhas. Abraços apertados, olhares que vão ao fundo da alma e ombros que esperam pela cabeça reclinada (seja qual for a hora!).
Sou atraída, imensamente atraída, por bom- humor que contagia, por piadas inteligentes, por romantismo não- enjoativo.
Gosto dos que se apegam... Mas não gosto dos que grudam!
Gosto dos que cuidam... Odeio os que tiram a individualidade!
Gosto dos que partilham... Mas não gosto dos que se anulam.
Gosto dos que sabem ser eles mesmos, embora seu endereço passe a ser o coração do outro.
Eu gosto mesmo é do " dentro pra fora ", do inteiro, do intenso, do autêntico.
Me prove quem és realmente, o que demonstra ser e ganharás meu coração embrulhado num papel celofane.