terça-feira, outubro 26, 2010

O calor.


Eu não dispenso o calor humano em nenhum momento da minha vida.
Eu gosto mesmo é de sentir o cheiro do outro, de perceber a diferença no andar, no tom da voz, no gosto musical.
Gosto dos gestos, do português errado, das piadas internas e externas.
Fico observando o balançar dos braços, o molejo, o ritmo individual e que caracteriza a identidade de cada um!
Eu gosto da personalidade, essa que não se empresta, que se tem e pronto!
Eu gosto na verdade é de gente!
De todas as cores, times, partidos e credos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário