terça-feira, maio 10, 2011

Pra poucos.



Não sou pra todos. Gosto muito do meu "mundinho".
Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas.
Às vezes tem um céu azul, outras tempestades.
Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos.
Mas não cabe muita gente.
Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso.
São necessárias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário