terça-feira, dezembro 27, 2011

Diferente.



”Sabe do que eu gosto mesmo? Gosto de abraços inesperado, bem apertado, que da pra ouvir até as batidas do coração. Gosto de beijo roubado, aquele beijo sem desespero, beijar numa hora que menos se espera, beijar como se fosse o último e o primeiro beijo. Gosto de sorrisos de lado, gargalhadas altas, sem o menor medo e vergonha de ser feliz; gosto daqueles sorrisos bem abertos, que você consegue ver até o interior da pessoa, e ver o tamanho da felicidade, ou o tamanho da tristeza que ela esconde atrás de um sorriso. Gosto da sinceridade, mas não aquela que machuca; mas aquela sinceridade de olhar nos olhos e dizer tudo o que sente, o que pensa, dizer tudo, sem esconder nada. Gosto de pessoas que sabem perdoar, que sabem pedir desculpas, pessoas que não vão embora, e que não me deixam ou me trocam quando encontram alguém melhor que eu; sou apaixonada por pessoas diferentes, que tem seu jeito próprio; pessoas que agem e me tratam diferente de todas as outras me encantam. É disso que eu gosto.”


Kássia Ferreira (poetas-suicidas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário