quinta-feira, dezembro 27, 2012

Venha logo 2013!


“E ai, 2012 valeu a pena?” Perdi pessoas que eu achava que não viveria sem, e ganhei pessoas que eu nunca imaginei que entrariam em minha vida. Ri até chorar, e chorei como se não fosse mais rir. Amei e desamei. Fui decepcionada, mas também decepcionei. Sonhei alto, cai muito, machuquei e me levantei. Senti saudade, morri de saudade, mas também deixei saudade. Disse coisas que não deveriam ser ditas. Me calei quando mais deveria ter falado. Chorei. Ah, como eu chorei! Mas também fiz pessoas chorarem. Briguei, brinquei e me arrependi. Guardei coisas bobas e deixei coisas importantes passar. Algumas vezes fui feliz, outras vezes triste. Me arrependi de coisas que disse, e disse coisas da qual não me arrependo. Xinguei, gritei e perdoei. Errei querendo acertar, e acertei quando achei que tinha errado. Acreditei no “Para sempre”, “Eu te amo” e “Conte comigo”, e também fiz pessoas acreditarem. Prometi coisas que não cumpri, e cumpri coisas que nem ao menos prometi. Perdi e ganhei. Sorri e chorei. Me ergui e desabei. Cresci e amadureci. E então volto a perguntar: “E ai, 2012 valeu a pena?” Valeu muito a pena! E convenhamos que se o tempo voltasse, faria tudo isso outra vez.
 
 
 
# No dia primeiro de Janeiro de 2013, pegue uma jarra ou um pote vazio de qualquer lugar da sua casa e coloque no seu quarto. Toda vez que alguma coisa boa acontecer com você, não importa quão pequena seja, contanto que lhe tenha feito sorrir, escreva em um papel porque você está feliz, dobre o papel e coloque na jarra. No último dia de 2013 esvazie sua jarra e veja quantos pequenos presentes a vida lhe deu. Faça isso todo ano.


Um feliz e excelente ano novo!! ^^

quinta-feira, novembro 29, 2012

Falta.

 
 
Me machuca sabe? A falta de importância que algumas pessoas dão para mim, com o que estou sentindo. Enquanto as palavras delas dizem que me amam, as atitudes contrariam. E cada falta de atitude é uma decepção, uma marca que fica aqui dizendo que estou me iludindo. E o pior é que sou obrigada a ficar em silêncio, apenas me conformando. Até porque, como já lhes disse várias vezes, não gosto de cobrar o que deve ser espontâneo. A espontaneidade é um sinal de que aquilo é verdadeiro. E eu não sinto mais isso. É como se tudo, realmente não existisse. E o pior, é que quando as atitudes se tornam presentes, é de forma forçada. Cansei... De me iludir tanto com palavras, enquanto a falta de atitude está ali, tentando me dizer a verdade.

sexta-feira, novembro 09, 2012

Raciocínio.

 
Pior do que se sentir perdida é perder-se em si mesmo. No emaranhado do que você acredita misturado ao que você é ou era. O que você acredita, apostando corrida com o que você mais detesta. O que você tem, jogando palitinhos com o que você quer. Seu amor e suas dores na linha de chegada e o coração de juiz em dia de clássico. Eu não sei se você entende o raciocínio de quem não tem raciocinado ultimamente ou se entende o porquê de certas coisas que não se explicam.
Quando a cabeça não pensa o corpo padece.
Suas certezas mudam, suas prioridades deixam de ser prioridades já que você nem sabe mais o que deseja. Até sabe, mas está tão longe e você tão cansado que o mais fácil é deixar que as prioridades te encontrem e você pode fugir do que não interessa. Seus princípios enfraquecidos te cobram uma atitude e você cobra a coragem. Seus olhos pesam e seu coração já bate fraco. De tanto que bateu a vida inteira. De tanto chorar amor e fracassos. De tanto chorar pelo leite derramado você decide que se entender é complicado demais.
Melhor deixar assim.
Uma porta de saída e uma de entrada. O que vale fica e o que não vale que valesse. Nada de culpa ou de noites mal dormidas, nada de coração na boca e de frio na barriga. Certas coisas não se explicam. Não existem palavras que as descrevam ou soluções que as resolva. Sentimentos, gestos, sonhos e sorrisos. A alma entende e a boca cala.
 
"Se eu gostar de você tenha a gentileza de não me deixar tão solta. Não me pergunte aonde vou, mas me peça pra voltar."

segunda-feira, outubro 29, 2012

Pra cortar os pulsos.

 
Hoje eu quis beijá-lo mais do que nunca. Olhar em seus olhos, e dizer o quanto eu gosto dele. Como se nascesse ali um amor absoluto pelo pessoa que eu vi. Hoje eu quis abraçá-lo e encostar meu corpo no dele e dizer-lhe palavras sinceras. Hoje eu quis fazê-lo sentir-se amado (porque aqueles olhos irresistivelmente carentes me dizem que talvez ele jamais tenha sido de verdade). Hoje eu quis que ele nunca mais saísse do meu lado e quis que minha vida se conectasse à dele, quis saber tudo o que eu ainda não sei e quis saber mais e por mais tempo, quis fazer mais e mais parte. Coisas a se transformar para desaparecer e eu pensando em ficar a vida a te transcorrer…
Eu mostro a ele um relicário com todos os melhores tesouros singelos que eu consegui reunir. Poderia lhe entregar meu coração, alma vida e até minha atenção. Mas ele olha de longe, quando olha. Tem medo de descobri-lo, e eu vou ficando sem forças para segurar o relicário e triste de sentir que não terei disposição de tentar fazê-lo por mais tempo.
Hoje eu quis dizer para ele: “Você pensa que é fácil?”
Eu acho que ele sabe que não é. Mas tem um jeito atordoante de convencer a si mesmo (como se quisesse convencer a mim) de que talvez possa ser. E eu morrendo devagar, em silêncio, pelo caminho, entre uma esquina e outra. Se você achar meu coração perdido pela cidade, devolva-me.

segunda-feira, outubro 08, 2012

Um detalhe.



De todos o males da vida, tenho medo de apenas um: o de apaixonar.
De querer e não ser querida. De chorar e não ter quem enxugue minhas lágrimas. O mal de não ser correspondida me apavora. De ser única em algo que eu realmente não quero ser sozinha.Tenho pavor de gostar de quem não me gosta. Mas o pior de tudo neste meu enorme medo, é que mesmo sentindo medo, ainda assim sofro dessa calamidade...E mesmo que sofrendo sou feliz.
Pois sendo dependente dele como sei que sou. Sei que ainda posso sentir e ainda é real.

terça-feira, outubro 02, 2012

O mais alto.

 
 
Não entendo como alguém pode passar uma vida inteira apenas se adaptando, num esforço inútil de ser feliz só com o que pode ter. Me desculpe, mas quero o infinito, quero ir o mais alto possível. E se assim não puder ser, quero sentir o gosto da dor que me pertence. Me recuso a aceitar as coisas como os outros acham que são, odeio a palavra paciência e minhas necessidades são todas urgentes. É sim. Faço tempestades em copos d'água, minhas bolas de neve sempre viram avalanches e fico muda quando o que penso é maior do que entendo...
afinal, o mundo que percebemos é do tamanho daquilo que procuramos entender.

quinta-feira, setembro 27, 2012

"Sobra tanta falta."

 
 
"Dessa forma, eu digo: não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter alguém ao seu lado, ou de fazer algo, por puro medo de ser feliz. A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente… não voltará mais."
 
#Mário Quintana

sábado, setembro 22, 2012

Uma viajem.

 
Ai ai, como usei aqui todas as palavras que conhecia, todos os sentimentos que possuía e desenhei todos os sonhos que brotavam instintivamente em minha pequena mente. Fiz mil traços, percorri caminhos invisíveis e no final me vi sem rumo. Meu pequeno diário, meu pequeno mundo e meu devastado coração mudaram muito. Larguei as pequenas coisas que me faziam bem, detalhes que aliviavam ou expandiam meu humor de forma única. Fui deixando que a 'mulher', habitante atual do meu ser, se sobrepusesse a menina, que já me deixou nos momentos que mais precisei de um sorriso inocente vindo de mim mesma. Mudei, cresci e infelizmente deixei muitas coisas que amava de lado, por não conseguir colocar tudo dentro desse saco de viagem que carrego comigo; saco este que possui muitas e poucas coisas, na realidade. Tem histórias, lamentos, alegrias, desejos e alguns pequenos sonhos, nada que me faça cair tão dolorosamente como antes. As vezes me pego pensando nas coisas antigas, me condeno e me recrimino e caio na tentação de perguntar 'porque' de tudo e por tudo. A vida as vezes acrescenta umas coisas nesse saco de viagem, as vezes sou obrigada a deixar partes minhas em alguns lugares que já estive, por não suportar o peso de tantas coisas. Vou deixando, vou largando e vou levando coisas novas. A vida, cheia de histórias e grandes viagens, é assim mesmo. Um pegar, desapegar, sofrer e se completar.

domingo, setembro 16, 2012

Chegue depressa.

Chega. Porque guardar roupa velha dentro da gaveta é como ocupar o coração com alguém que não lhe serve. Perda de espaço, tempo, paciência e sentimento. Tem tanta gente interessante por aí querendo entrar. Deixa. Deixa entrar: na vida, no coração, na cabeça.               

terça-feira, setembro 04, 2012

Sonhos demais.

 
 
 
Só porque vocês ficaram mais de duas vezes, não significa que vão continuar ficando. Só porque ele te chama de amor, não significa que estão prestes a namorar. Só porque ele te elogia, não significa que ele não elogia todas as outras. Só porque ele te chama pra sair com ele, não significa que ele só fica com você. Só porque ele parece ser a pessoa mais carinhosa e te olha com aquele olhar profundo, não significa que é porque ele sente algo a mais. Só porque ele diz que quer muito te ver, não significa que ele está pensando em te beijar novamente.


O problema é que a gente sonha demais, ama demais, confia demais, se entrega demais. Resumindo, se fode demais.

quinta-feira, agosto 30, 2012

Mais ou menos incomoda.


 
"Me diga que está triste, eu consolo. Me diga que nunca foi tão feliz, eu concordo. Me ame ou me odeie. Me manda pra puta-que-pariu ou me convide pra ir com você. Exploda na minha cara ou se derreta na minha mão. Deixa eu te ver morrendo de tanto rir ou com vergonha das olheiras de tanto chorar. Só não me esconda o rosto. Me abrace, me esmurre, me lamba, ou me empurre. Só não me balance os ombros. Não me perturba assistir tua dor nem acompanhar teu gás. Te ver mais ou menos realmente me incomoda. Mais ou menos não rende papo, não faz inverno nem verão, não exige uma longa explicação. É melhor estar alegre ou estar triste, mais ou menos é a pior coisa que existe."
Autoria: Gabito Nunes.

sábado, agosto 25, 2012

O que acontece dentro de mim.


 
 
Quase gritei que te amava, mas tranquei as palavras dentro dos dentes, mastiguei uma por uma a as engoli novamente. Mas elas correm de mim e quase se espremeram pelos meus olhos, eles brilhavam vendo coisas que não estavam diante deles, eles denunciavam o quão longe vagavam meus sentimentos. Meus dedos se enroscavam, eles queriam se abrigar em riscos e palavras, queriam que pichassem na parede da tua sala. Quase sussurei que te amava baixinho na tua orelha, ali que era o único lugar no mundo inteiro onde se precisava ouvir aquela confissão, mas também quis colar panfletos em toda rua, pra que mesmo quem não te conhecesse sentisse um tico de inveja daquele amor imenso que era tão seu. Senti vontade de dizer que te amava, uma força imperativa que agia sobre meus músculos, mas nunca expulsei aquelas palavras, elas eram gritos mudos sufocados dentro de mim. Mas você lembra, lembra quando segurei tua mão bem forte e fiquei te olhando nos olhos? Você sorriu e não entendia nada, não entendia que "eu te amo" não sai só pela boca.

quinta-feira, agosto 23, 2012

Não amanhã.

 
 
Se eu for embora amanhã, sem bilhete ou despedida, não guarda ódio de mim.
Se eu for embora amanhã, eu prometo deixar o café quente e pão fresco em cima da mesa como fiz todos os dias. Se eu for embora amanhã, guarda todos os risos que te dei de presente, e guarda as lágrimas num canto escondido do coração pra ele nunca ressecar, mas não deixa tão á vista pra também não te encharcar. Se eu for embora amanhã, não perca o sono imaginando para onde eu fui, o destino alinha meus passos sem avisar mesmo a mim. Se eu for embora amanhã, vai pra praça ouvir os passarinhos, terei te deixado recados nos cantos deles. Se eu for embora amanhã, não me acuse de desamor e ou covardia, a liberdade me tem pra servidão, se é que isso faz algum sentido. Se eu for embora amanhã, te darei um beijo e direi que te amo, mas pode ser que você pense que é sonho. Se eu for embora amanhã, não pense que tudo que eu disse foi mentira ou em vão, eu prometo eternidade, mas nunca sei do dia seguinte. Se eu for embora amanhã,  não me espere voltar, meu caminho é sem curva. Se eu for embora amanhã, me deixa continuar morando no seu coração, no lugar mais bonito que houver nele, mais adornado e perfumado, porque seu peito é casa confortável pra mim. Se eu for embora amanhã, não é por nada, é que tudo passa, até eu, por mais que queria ficar por mais um dia ou dois. Se eu for embora amanhã, se apaixone de novo, acumule amor até transbordar, mas não esquece feito a gente não consegue lembrar de um sonho bom pela manhã ao acordar.
Mas eu não vou embora, não amanhã.

segunda-feira, agosto 20, 2012

Um dia...


Quem sabe um dia a gente se trombe por aí. Por coincidência, vai que a gente dobre a mesma esquina ou eu te avise do outro lado da calçada e você acene.
Talvez, nós podemos nos cruzar em meio ao trânsito, na fila do mercadinho ou na padaria. Tanto faz esbarrar em você na saída daquele barzinho que frequentávamos com nossos amigos ou numa simples sorveteria. Que nós nos encontremos mais uma vez. Que nós nos encontremos mais uma vez -- repito durante o meu dia, mesmo em meio a correria. Um dia o acaso irá de me ouvir.
Preciso tanto te ver. Preciso tanto, mas tanto, te encontrar.

quinta-feira, julho 12, 2012

Manias.

Mania de jogar o cabelo pro lado. Mania de sorrir quando sente alguém olhando demais. Mania de coçar os olhos e olhar o visor do celular como se houvesse chegado alguma coisa e não viu. Mania de estudar escutando música e revirar os olhos sempre que escuta, ouve ou vê alguma bobagem. De sorrisos, de olhares, de vozes e cheiros. Mania de achar que nem tudo é aquilo que se vê. De imaginar situações com quem nunca viu e se arrepiar, sorrir, se desesperar por isso. Mania de fechar os olhos antes de dormir e te desejar boa noite em pensamento, dorme bem, sonha comigo, te quero muito e bem.”

( Caio Fernando Abreu )

sábado, junho 30, 2012

Por mais que eu tente.


Só eu sei o quanto dói amar uma pessoa que nunca vai ser sua. Por mais que eu tente, por mais que eu fale, por mais que eu lute, no fim tudo vai ser em vão. Simples: você não me enxerga como alguém que vai te fazer feliz e sentir as melhores sensações do amor. Você só me vê como uma amiga que te faz sorrir. Amizade é pouco pra mim, principalmente quando meu desejo é ser amada por você. Não há sensação pior pra alguém sonhar com a pessoa amada, e ter que afogar esse sonho num poço que você construiu com suas próprias lágrimas. Lágrimas que parecem durar mais que um sorriso. Talvez um dia eu te veja como amigo, como alguém que eu amei, mas que prefiro não me lembrar como alguém que apenas divide sorrisos comigo. Infelizes perguntas e idéias surgem na minha cabeça. Será que um dia vou te esquecer como amor? Será que um dia tudo isso vai passar? Ai, nesse momento, eu paro, e me lembro que, tudo na vida um dia passa e que mesmo continuando um pouquinho de você em mim, esse pouquinho não ira interferir mais nas minhas decisões, e que não me fará tão mal, quanto me faz agora. Noto então, que você é somente mais uma das 99% das que passaram pela minha vida, e que eu amei; mais não fez com que se tornasse o 1% que eu tanto procuro.

segunda-feira, junho 25, 2012

Bem quente!


Um café e um amor, quentes por favor.

Mas não te procuro mais, nem corro atrás. Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta… Tens meu número, na verdade, meu coração, então se sentir vontade de falar comigo ou me ver, me procura você.”
(Caio Fernando Abreu)

sábado, maio 12, 2012

Mais um.


Me disseram, um dia, para eu não esperar do outro aquilo que ele não poderia me dar. Esperei anos por isso, apenas para poder entender o porquê, que nem sempre vem de imediato mas que de alguma forma sempre aparece. Percebi que nem sempre o que você quer receber é o que o outro quer dar, e vice-versa. Vida. Tive tanto medo desta a ponto de parar de viver. Já quis por um momento desistir do que ela me proporcionou e dos desafios que me concedeu. E agora...estou a frente de mais um deles.

quarta-feira, maio 09, 2012

Uma urgência.


Sentir uma dor grande, um aperto no coração. Uma saudade, uma falta, uma urgência. Procurei alguém pra desabafar, alguém que pudesse me ouvir e só. Alguém que não julgasse, não criticasse. Só emprestasse seu ouvido e braços quando eu enfim me debulhasse em lágrimas e precisasse de um abraço apertado e de preferência, sufocante pra tentar de alguma forma diminuir o machucado. Não achei ninguém. Diante de todos, não havia nenhum. É triste, mas será assim as vezes. Tendo que vencer, ultrapassar, superar todos os problemas sozinha, lamentando não ter nenhum ser disposto a me ouvir, quando eu precisava tanto falar, saberia que por mais tempo e palavras que usasse, ninguém entenderia o tamanho da falta que sentia ali. Ninguém seria capaz de pelo menos imaginar o tamanho que meu coração ficou só de pensar que tudo aquilo estava acontecendo. Ninguém saberia a vontade que eu teria – e tenho – de estar ao seu lado.
Tem se tornado tão grande, tão intenso, forte, profundo, largo, que nem eu mesma entendo, quanto mais eles....

sábado, maio 05, 2012

Perdida.


Eu tenho tantos momentos, tive tantos sentimentos, tive tanto passado. Sei lá, eu sempre achei que minha mente seria organizada, como se fossem pequenos escaninhos, cada lembrança, sentimento, fato, momento, relacionamento, pensamento e essas coisas toda em seu lugar, com uma 'etiqueta' indicativa do que era. E posso até dizer que minha mente era assim, meio que arrumada. Até que um furacão passou, desarrumou tudo, jogou indicações fora, trocou de lugar as coisas e eu me perdi. Minha mente hoje é um abismo de coisas, bagunçado a ponto de não saber como viver, como organizar, como arrumar tudo, como pegar as coisas e entendê-las. Passo muito tempo lendo e relendo algumas coisas para compreender o fato dela estar ali, tento entender porque outras foram jogados num lugar obscuro da minha mente. Cada pequeno detalhe se perdeu, meu modos se perderam e eu simplesmente não sei para onde seguir, como deixar e nem como começar a organizar cada coisa que vejo em mim mesma, como pode um alguém só fazer isso com a gente?

quinta-feira, abril 19, 2012

O que me move.


Eu não sou auto-suficiente. Eu preciso de palavras bonitas com a mesma freqüência que preciso ir ao banheiro quando minha bexiga aperta, ou tomo água quando a garganta seca.
Eu sou movida a palavras, a sentimentos. Nunca um “eu te amo” fez tanto efeito sobre mim. Eu gosto de abraços fora de hora, de sentimentos demonstrados. De gente sorrindo, de olho brilhando, de lagrimas de emoção.
Eu gosto do simples. Eu gosto das gargalhadas nas horas certas, gosto dos beijos roubados. O que me move são as surpresas, são as noticias boas.
O que me alegra são meia dúzia de palavras bonitas, de sentimentos bons.
Não sinto necessidade de presentes, algumas boas palavras, um texto improvisado, umas flores inesperadas, tudo isso mexe muito mais comigo. Tudo isso me faz acordar sorrindo pro mundo por um mês no mínimo. Atitudes, palavras, bom censo, abraços, carinhos, é isso que me move.

domingo, abril 08, 2012

Emoção e Razão.



Hoje me aconteceu um fato um pouco irônico. Estava dentro do ônibus e sentei ao lado de uma menina que estava com o celular na mão. Tentei disfarçar da melhor maneira possível, mas acompanhei passo a passo o que ela estava fazendo com apenas uma espiadinha de canto de olho. Ela digitava uma SMS enorme, ia pra enviar, esperava alguns minutos e deletava a SMS. Repetiu o processo durante umas 4 vezes no mínimo, e sempre desistia. Depois ela olhava a foto que estava como plano de fundo, e creio eu que era ela e o namorado. Ou ex né. Virava o celular, revirava, futucava, olhava de 5 em 5 segundos, e sempre com uma carinha triste no final. Saquei na hora o que estava acontecendo, qualquer um que estivesse no meu lugar sacaria. Essa briga entre o coração e a razão, de querer ir atrás e não poder, de querer pedir desculpas para não perder… Machuca, sei bem como machuca. E minha vontade foi de chegar pra ela e dizer “EU TE ENTENDO MENINA!”, mas ninguém entende, ninguém compreende, ninguém vai poder ajudar. Só sabe como dói uma ferida, quem realmente foi ferido.


Ultimamente não espero nada.
Não estou afim de me surpreender, muito menos me decepcionar.

domingo, março 25, 2012

Tal jeito.



Tenho um coração que quase me engole, uma força que nunca me deixa e uma vontade que às vezes me cega. Tenho um jeito de viver selvagem, mas sou mansa com quem merecer. Não gosto de café morno, de conversa mole, nem de noite sem estrela. Sou bem mais feliz que triste, mas às vezes fico distante. E me perco em mim como se não houvesse começo nem fim nessa coisa de pensar e achar explicação pra vida. Explicação mesmo, eu sei: não há. E me agarro no "meu sentir" porque, no fundo, só meu coração sabe. E esse mesmo coração que me guia e não quer grades nem cobranças, às vezes me deixa sem rumo, com uma interrogação bem no meio da frase: O que eu quero mesmo? Por isso, eu te peço (de um jeito meio sem-vergonha, que é assim que eu costumo ser): se eu gostar de você, tenha a gentileza de não me deixar tão solta. Não me pergunte aonde vou, mas me peça pra voltar. Sou fácil de ler, mas não tente descobrir porque o mesmo refrão insiste em tocar tanto. Se eu gostar de você, tenha a delicadeza de também gostar de mim. E me deixe ser, assim, exatamente como eu sou. Meio animal, meio gente. Desconfiada. E independente.


Só olhar, sentir, ouvir a voz, faz tudo ficar mais feliz... algumas pessoas simplesmente valem a pena.

terça-feira, março 06, 2012

Life!



A vida pode se tornar agradável se você parar de cobrar tanto dos outros, exigir demais dos momentos, criar grandes expectativas em cima de coisas. Busque equilíbrio, mas não tenha medo de errar em certos momentos. Talvez o certo na vida seja cometer erros de vez enquanto. Errado é procurar uma perfeição inexistente nisso tudo. Sua vida tem altos e baixos, momentos tristes e felizes, e você tem que saber o que fazer nos dois. Nos tristes, chore à vontade, mas não permita que isso te destrua, e sim te fortaleça, sempre com a idéia de que nada é pra sempre. Nos felizes, sorria sempre que pode, aproveite os momentos e as pessoas, porque assim como o triste, também passa. Pessoas vão embora, sentimentos mudam ou acabam com o passar do tempo. É doloroso e complicado, mas é a vida. Ninguém nunca disse que seria fácil. Você terá perguntas, respostas, novas perguntas, tristezas, alegrias, derrotas, vitórias, finais, começos, mudanças ocorrem. Todo dia é um recomeço, e você precisa aproveitar. Tenho a teoria de que nada que é fácil, é bom o suficiente, deve ser por isso que amo tanto a vida: ela é meio complicada, difícil, então deve valer a pena.


domingo, fevereiro 26, 2012

O nada.


Ás vezes me pego pensando em coisas sem sentido, sentindo coisas sem sentido, vendo, ouvindo coisas sem sentido, sem sentir nada. Eu erro tanto. Me iludo tanto. Espero tanto, cuido tanto! Ah, eu AMO TANTO. Eu me preocupo, eu me doô e acabo ficando sem mim. Me esvazio de tudo e fico vazia. Fico no vácuo, planando entre os pensamentos que não foram aceitos nem sendo de graça. Fico sozinha, oscilo entre vários pólos e me sinto completamente psicótica, psicopata talvez. O problema é que eu fico esperando que metades alheias me completem, quando eu sou toda vazio e não tenho nem 1/2 (de melhorar tudo), não tenho nem 1/4 (fico me escondendo pelas salas) de mim, de nada, de coisa nenhuma.
Quadrados.
Triângulos.
Circulo por aí esperando alguém esbarrar em mim - de propósito ou não - e grudar!...



Mas como uma metade se grudaria no nada?

quinta-feira, fevereiro 09, 2012

Pensamentos confusos.



Meus pensamentos andam tão confusos ultimamente às vezes penso que deveria tentar recomeçar, mas ai eu penso que isso vai ser tão complicado só pelo fato das coisas que estão acontecendo, outra hora acho que é estranho e que tem alguma coisa, que me levo a pensar q eu devo tentar, outra hora acho que não vale à pena. Meus sentimentos estão tão confusos, eu sinto um vazio tão grande dentro de mim, e o pior é que eu sei quem pode mudar isso, mas não sei o que fazer, eles dizem coisas que me fazem pensar, mas nunca sai de pensamentos, não é medo como alguns dizem acho que é insegurança de um dia acabar e se encerrar ali, algo que poderia durar pelo resto da vida. Você não consegue ver o que está estampado em minha cara, de não enxergar o quanto eu quero você. Porque cada palavra sua, por mais que insignificante, consegue mover algo dentro de mim. É difícil de explicar o porque disso tudo, se nem ao menos você fez algo para que meu coração disparasse desse jeito. Sei que para você nada disso importa, são só coisas que você não precisa saber, porque sei que não fará a mínima diferença. Mas é tão complicado guardar tudo isso dentro de mim, é tão ruim imaginar que nunca poderei me confortar com a certeza de que você sente por mim o mesmo que eu sinto por você. Quem sabe um dia você acorde desse e possa enfim, perceber que eu estive esse tempo todo aqui, querendo você perto de mim. Mas eu espero que esse dia não demore a chegar, porque eu não posso te esperar para sempre.

terça-feira, janeiro 31, 2012

Escrever.


Escrever, escrever, escrever. Talvez essa seja a única maneira de eu não me sentir tão só...de certa forma. Talvez seja o único jeito de tentar demonstrar tudo que sinto. Mas acontece que meus sentimentos são tão intensos que na maioria das vezes eu não encontro palavras suficientes.
Talvez escrever seja meio que um refúgio pra mim.


Se você não tem sentimentos, não magoe quem tem.

quinta-feira, janeiro 26, 2012

Serve?



Não se iluda comigo, eu não tenho nada demais pra oferecer além de sentimento - para alguns é nada, para outros é tudo e pra você, serve?

terça-feira, janeiro 24, 2012

Saudades.


Pensamos que a saudade foi feita para machucar, mas o tempo passa e percebemos que ela é a maneira mais certa de vermos o quanto gostamos de alguém...

quinta-feira, janeiro 19, 2012

Tempo.




Perdemos o controle sobre nossas decisões. Culpamos o destino. E pesamos essas decisões sem nenhum tipo de razão. Então vemos os bem sucedidos, os felizes, os perfeitos.
Então buscamos a perfeição em cada ato, cada palavra e cada sentimento.
O cara perfeito, a garota perfeita. A casa perfeita. A música perfeita. E nos deparamos com imensa imperfeição. E criticamos a imensidão. A demora e os obstáculos. E nos sentamos, olhando a vida. Resmungando baixinho, como seria mudar daqui. E desvendar o mistério de outros planetas. E bebemos mais um gole de café. E continuamos aqui. E a vida passa, uma, duas, três vezes... E não nos damos conta que ela sempre vai. E volta. Mas que de tão camuflada em destino, não vemos nem sentimos.



"Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo..."

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Diferentemente encantadora!


Eu não sou a pessoa mais parecida com a sociedade.
Não acho o cantor "Roberto Carlos" um rei. Pra mim rei é aquele que te faz pensar em algo, que se arrisca por uma ideologia; como Cazuza e Renato Russo, que tiveram lá seus medos e seus ânceios, mas que fizeram uma revolução em sua época com as letras que cantavam.
Não acho Lady Gaga melhor do que Madona, acho Madona uma diva, que canta a décadas e continua arrasando a cada nova sílaba cantada; mas rainha mesmo é Ivete Sangalo, que encanta e abala por onde passa.
Não acho Robert Pattison, Justin Bieber, Taylor Lautner, Zac Efron e tantos outros que tem por aí grandes atores, ídolos, lindos e perfeitos. Meus ídolos seriam Sandra Bullock, Sean Penn e outros do mesmo nível!
Não julgo as bandas de Happy Rock que surgiram; não critico outros cantores ou atores que surgiram porque eu vejo seus filmes. Mas tenho minhas preferências. Tenho meus ídolos, meus favoritos aqueles que eu defendo como melhores.
Não gosto do que todos gostam, não odeio o que todos odeiam. Sou sempre diferente de tudo, sempre acho bonito e bom o que a maioria nem olharia. Não gosto de ídolos momentâneos. Gosto daqueles que tem talento e se esforçam todo o dia para estarem ali, mostrando seu melhor!
Não gosto de pessoas que falam uma coisa e fazem outra. Não gosto dessas que se fazem de vitíma. Não gosto as vezes de pessoas.
Sou diferente, e tenho minhas ideologias.

segunda-feira, janeiro 09, 2012

Sinceramente...



Finjo estar bem quando não estou. Finjo não me importar quando me importo. Finjo estar feliz quando o que uma pessoa falou não me agradou. Finjo parecer legal para alguns. Finjo ser rude para outros. Finjo não amar determinadas pessoas quando as amo pra caramba. Finjo não querer algo apenas por educação. Finjo não ter o que falar para não magoar algumas pessoas. Finjo ter esquecido aquelas pessoas que não saem da minha cabeça. Finjo não ligar quando falam o nome dele. Finjo estar satisfeita só para não começar uma discussão. Cansei de fingir ser o que eu não sou.


Só queria que algumas pessoas me dessem mais importância.
Tanto quanto eu dou para elas.

domingo, janeiro 01, 2012

Novo começo.



Trago lágrimas, sorrisos, histórias, abraços. Trago momentos felizes, momentos de decepção. Carrego pessoas, amores e desamores, amigos e inimigos, desafetos, paixões. Não sou um livro aberto, mas também não tão fechado que você não consiga abrir, basta ter jeito, saber tocar as páginas, uma a uma, e descobrirá de que papel é feito cada uma delas.

Feliz 2012 pra todos!