terça-feira, janeiro 31, 2012

Escrever.


Escrever, escrever, escrever. Talvez essa seja a única maneira de eu não me sentir tão só...de certa forma. Talvez seja o único jeito de tentar demonstrar tudo que sinto. Mas acontece que meus sentimentos são tão intensos que na maioria das vezes eu não encontro palavras suficientes.
Talvez escrever seja meio que um refúgio pra mim.


Se você não tem sentimentos, não magoe quem tem.

quinta-feira, janeiro 26, 2012

Serve?



Não se iluda comigo, eu não tenho nada demais pra oferecer além de sentimento - para alguns é nada, para outros é tudo e pra você, serve?

terça-feira, janeiro 24, 2012

Saudades.


Pensamos que a saudade foi feita para machucar, mas o tempo passa e percebemos que ela é a maneira mais certa de vermos o quanto gostamos de alguém...

quinta-feira, janeiro 19, 2012

Tempo.




Perdemos o controle sobre nossas decisões. Culpamos o destino. E pesamos essas decisões sem nenhum tipo de razão. Então vemos os bem sucedidos, os felizes, os perfeitos.
Então buscamos a perfeição em cada ato, cada palavra e cada sentimento.
O cara perfeito, a garota perfeita. A casa perfeita. A música perfeita. E nos deparamos com imensa imperfeição. E criticamos a imensidão. A demora e os obstáculos. E nos sentamos, olhando a vida. Resmungando baixinho, como seria mudar daqui. E desvendar o mistério de outros planetas. E bebemos mais um gole de café. E continuamos aqui. E a vida passa, uma, duas, três vezes... E não nos damos conta que ela sempre vai. E volta. Mas que de tão camuflada em destino, não vemos nem sentimos.



"Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo..."

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Diferentemente encantadora!


Eu não sou a pessoa mais parecida com a sociedade.
Não acho o cantor "Roberto Carlos" um rei. Pra mim rei é aquele que te faz pensar em algo, que se arrisca por uma ideologia; como Cazuza e Renato Russo, que tiveram lá seus medos e seus ânceios, mas que fizeram uma revolução em sua época com as letras que cantavam.
Não acho Lady Gaga melhor do que Madona, acho Madona uma diva, que canta a décadas e continua arrasando a cada nova sílaba cantada; mas rainha mesmo é Ivete Sangalo, que encanta e abala por onde passa.
Não acho Robert Pattison, Justin Bieber, Taylor Lautner, Zac Efron e tantos outros que tem por aí grandes atores, ídolos, lindos e perfeitos. Meus ídolos seriam Sandra Bullock, Sean Penn e outros do mesmo nível!
Não julgo as bandas de Happy Rock que surgiram; não critico outros cantores ou atores que surgiram porque eu vejo seus filmes. Mas tenho minhas preferências. Tenho meus ídolos, meus favoritos aqueles que eu defendo como melhores.
Não gosto do que todos gostam, não odeio o que todos odeiam. Sou sempre diferente de tudo, sempre acho bonito e bom o que a maioria nem olharia. Não gosto de ídolos momentâneos. Gosto daqueles que tem talento e se esforçam todo o dia para estarem ali, mostrando seu melhor!
Não gosto de pessoas que falam uma coisa e fazem outra. Não gosto dessas que se fazem de vitíma. Não gosto as vezes de pessoas.
Sou diferente, e tenho minhas ideologias.

segunda-feira, janeiro 09, 2012

Sinceramente...



Finjo estar bem quando não estou. Finjo não me importar quando me importo. Finjo estar feliz quando o que uma pessoa falou não me agradou. Finjo parecer legal para alguns. Finjo ser rude para outros. Finjo não amar determinadas pessoas quando as amo pra caramba. Finjo não querer algo apenas por educação. Finjo não ter o que falar para não magoar algumas pessoas. Finjo ter esquecido aquelas pessoas que não saem da minha cabeça. Finjo não ligar quando falam o nome dele. Finjo estar satisfeita só para não começar uma discussão. Cansei de fingir ser o que eu não sou.


Só queria que algumas pessoas me dessem mais importância.
Tanto quanto eu dou para elas.

domingo, janeiro 01, 2012

Novo começo.



Trago lágrimas, sorrisos, histórias, abraços. Trago momentos felizes, momentos de decepção. Carrego pessoas, amores e desamores, amigos e inimigos, desafetos, paixões. Não sou um livro aberto, mas também não tão fechado que você não consiga abrir, basta ter jeito, saber tocar as páginas, uma a uma, e descobrirá de que papel é feito cada uma delas.

Feliz 2012 pra todos!