domingo, fevereiro 26, 2012

O nada.


Ás vezes me pego pensando em coisas sem sentido, sentindo coisas sem sentido, vendo, ouvindo coisas sem sentido, sem sentir nada. Eu erro tanto. Me iludo tanto. Espero tanto, cuido tanto! Ah, eu AMO TANTO. Eu me preocupo, eu me doô e acabo ficando sem mim. Me esvazio de tudo e fico vazia. Fico no vácuo, planando entre os pensamentos que não foram aceitos nem sendo de graça. Fico sozinha, oscilo entre vários pólos e me sinto completamente psicótica, psicopata talvez. O problema é que eu fico esperando que metades alheias me completem, quando eu sou toda vazio e não tenho nem 1/2 (de melhorar tudo), não tenho nem 1/4 (fico me escondendo pelas salas) de mim, de nada, de coisa nenhuma.
Quadrados.
Triângulos.
Circulo por aí esperando alguém esbarrar em mim - de propósito ou não - e grudar!...



Mas como uma metade se grudaria no nada?

Nenhum comentário:

Postar um comentário