quarta-feira, maio 09, 2012

Uma urgência.


Sentir uma dor grande, um aperto no coração. Uma saudade, uma falta, uma urgência. Procurei alguém pra desabafar, alguém que pudesse me ouvir e só. Alguém que não julgasse, não criticasse. Só emprestasse seu ouvido e braços quando eu enfim me debulhasse em lágrimas e precisasse de um abraço apertado e de preferência, sufocante pra tentar de alguma forma diminuir o machucado. Não achei ninguém. Diante de todos, não havia nenhum. É triste, mas será assim as vezes. Tendo que vencer, ultrapassar, superar todos os problemas sozinha, lamentando não ter nenhum ser disposto a me ouvir, quando eu precisava tanto falar, saberia que por mais tempo e palavras que usasse, ninguém entenderia o tamanho da falta que sentia ali. Ninguém seria capaz de pelo menos imaginar o tamanho que meu coração ficou só de pensar que tudo aquilo estava acontecendo. Ninguém saberia a vontade que eu teria – e tenho – de estar ao seu lado.
Tem se tornado tão grande, tão intenso, forte, profundo, largo, que nem eu mesma entendo, quanto mais eles....

Nenhum comentário:

Postar um comentário