sábado, setembro 22, 2012

Uma viajem.

 
Ai ai, como usei aqui todas as palavras que conhecia, todos os sentimentos que possuía e desenhei todos os sonhos que brotavam instintivamente em minha pequena mente. Fiz mil traços, percorri caminhos invisíveis e no final me vi sem rumo. Meu pequeno diário, meu pequeno mundo e meu devastado coração mudaram muito. Larguei as pequenas coisas que me faziam bem, detalhes que aliviavam ou expandiam meu humor de forma única. Fui deixando que a 'mulher', habitante atual do meu ser, se sobrepusesse a menina, que já me deixou nos momentos que mais precisei de um sorriso inocente vindo de mim mesma. Mudei, cresci e infelizmente deixei muitas coisas que amava de lado, por não conseguir colocar tudo dentro desse saco de viagem que carrego comigo; saco este que possui muitas e poucas coisas, na realidade. Tem histórias, lamentos, alegrias, desejos e alguns pequenos sonhos, nada que me faça cair tão dolorosamente como antes. As vezes me pego pensando nas coisas antigas, me condeno e me recrimino e caio na tentação de perguntar 'porque' de tudo e por tudo. A vida as vezes acrescenta umas coisas nesse saco de viagem, as vezes sou obrigada a deixar partes minhas em alguns lugares que já estive, por não suportar o peso de tantas coisas. Vou deixando, vou largando e vou levando coisas novas. A vida, cheia de histórias e grandes viagens, é assim mesmo. Um pegar, desapegar, sofrer e se completar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário