domingo, fevereiro 17, 2013

Sobre outras vidas.

 
 
Hoje eu acordei querendo ser outra pessoa. Como assim outra pessoa? Há outra pessoa dentro de mim, outro eu que quer mostrar ao mundo um lado que ninguém vê, contar uma história que ninguém viveu, apenas eu. Falar de lugares e flores que só existem nos meus contos ou sonhos, tão divertidos e sem compromisso. De cores que eu inventei e cheiros que estão pela casa e ninguém mais sente, quero explicar o que sinto ao ouvir aquela música que todos esqueceram, dizer sobre saudade, nostalgia e rir sem motivo. Rir das besteiras da vida e sorrir ao ver uma borboleta no meu quintal ou uma formiga carregando uma folha, como é perfeita a natureza!
Por que é tão difícil ser eu mesma? Pra que tantas máscaras? Sem falar nessa superficialidade... Viver em desacordo com o que a sociedade impõe, sem medos, sem traumas, com desapegos e apegos infinitos, amores, viver de amor, abraços, beijos e saudades sussurradas ao pé do ouvido debaixo de uma árvore em uma tarde fria de outono.
Caminhos diferentes, pessoas, multidões, só a dois, solidão. Sorrir, dançar, cantar na chuva, ir ao circo, ser clichê e ser feliz. Então descobri que hoje não acordei com vontade de ser outra pessoa, hoje acordei com vontade de ser apenas eu. E mais nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário