segunda-feira, junho 17, 2013

Ausência.





 
Sou sentimental ao extremo. Me apaixono fácil, me apego rápido demais. E tenho uma capacidade tremenda de deixar de gostar de alguém de uma hora pra outra. Sou irônica e de vez em quando, sei exatamente o que fazer pra modificar o que está errado na minha vida, mas seguidamente me sinto parada, estática, no mesmo lugar, sem saber pra onde ir. Faço escolhas erradas e apostas certas. Sou chorona. Choro de dor, de amor, em filmes, ouvindo uma música.
Afinal quantas facadas são necessárias para acabar com o coração em alguém? Até quando um coração suporta ser esmagado? Quantas vezes ainda terei de chorar lágrimas de sangue? Meu peito não aceita mais perdão. Ele congelou. A minha alma já cansou de morrer e agora estou sem forças para voltar a viver. Essa realidade me corta. As pessoas me ferem. Homens e mulheres armados com flechas preparados para atirarem dores e tristezas em mim. Deixando em minha vida apenas cicatrizes. Meu ego chora. Minha mente grita. As vozes me atormentam. Perdi o meu lugar no mundo, o rumo e a direção. Essas facadas tocam fundo na minha alma e tornam-na esfacelada. Eu estou morrendo, perdendo o brilho, não há lugar para mais uma dor residir dentro de mim. Cansei! Não aguento mais tamanha tristeza. Minha alma foi vandalizada e nunca mais irá se reconstruir.
 
#Quase sempre me bate aquela vontade de te mandar uma mensagem dizendo o quanto você me faz falta. Mas depois desisto, porque sei que irá me ignorar, igual tantas outras vezes. Então prefiro sofrer com a sua ausência do que com o seu desprezo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário