segunda-feira, agosto 26, 2013

Fora de contexto.



Dispenso palavras programadas. Não abro mão da minha paz. Todo dia desaprendo uma nova vaidade. Não quero ninguém massageando meu ego. Não quero que me levem sem a minha permissão. Não gosto de me sentir sondada, pressionada, intimidada. Só quero SER em paz (a minha poesia, o meu sossego). Abraço quem gosta de abraço. Tenho um sexto sentido razoável. Tenho convites pendentes, recusados e bloqueados. Não sou um número! Se suspeito, não aceito. Se aceito, verifico, presto atenção e se for necessário, excluo. Grata eu sou sempre. Tudo é muito simples. Economizo complicações e aborrecimentos. Não coleciono desafetos e tenho poucos amigos. Raros. E do mundo, eu só quero respeito. Só isso.


“Eu costumo guardar as coisas para mim, porque na realidade, ninguém realmente se importa.”

terça-feira, agosto 20, 2013

De repente.



De repente, estou só. Dentro do parque, dentro do bairro, dentro da cidade, dentro do estado, dentro do país, dentro do continente, dentro do hemisfério, do planeta, do sistema solar, da galáxia — dentro do universo, eu estou só. De repente, com a mesma intensidade estou em mim. Dentro de mim e ao mesmo tempo de outras coisas, numa sequência infinita que poderia me fazer sentir grão de areia. Mas estar dentro de mim é muito vasto.


“Já não cultivo esperanças, não procuro amores e nem perco noites de sono. Se o amor quiser aparecer será bem-vindo. Se não quiser, pouco importa.”

segunda-feira, agosto 19, 2013

Uma mistura.



Sou pessoa de dentro pra fora. Minha beleza está na minha essência e no meu caráter. Acredito em sonhos, não em utopia. Mas quando sonho, sonho alto. Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente. Sou isso hoje, amanhã, já me reinventei. Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim. Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina e vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar. Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos. Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil...


"Muitos mandam você esquecer e sorrir, mas só você mesmo sabe como é difícil passar por cima daquilo que está sentindo."

terça-feira, agosto 13, 2013

Lições.



As coisas são muito claras. Você tem uma vida, valores, educação, lembranças, consciência. Você tem escolhas, caminhos, passado, presente, futuro. Você tem todas as chances do mundo para escolher como quer viver. Falta ousadia. Falta verdade. Falta sinceridade. Falta vontade. Falta parar de reclamar e olhar para o mundo como ele realmente é. E sei, sei bem, que nem sempre o mundo é amigo. As pessoas podem - e são - cruéis. O mundo muitas vezes nos passa a perna. E a vida segue. Você as vezes se quebra, mas a vida segue. A gente erra, acerta. Ganha e perde. Você pode ter perdido família, amigos, amores...e ter se encontrado. Você pode ter família, amigos, amores...e nunca ter achado. O que vale, na verdade, não é tudo o que conquistou ou teve que abandonar. O que vale é a forma como você lida com isso.


“Preserve. Pessoas boas estão sendo extintas.”